Opinião

História do brasileiro negro

23 de Janeiro de 2020 - 18h20 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Carlos Eduardo Behrensdorf
cebehrensdorf7@gmail.com 

História do brasileiro negro
Laurentino Gomes é o maior historiador brasileiro vivo. É autor de 1808, 1822 e 1889. Agora ele rebenta a fita ao publicar o Volume I de Escravidão: Do primeiro leilão em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares. Na contracapa lê-se o seguinte: "O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África", afirmava no final do século 17 o padre jesuíta Antônio Vieira. Esta é uma frase profética que se torna cada vez mais verdadeira. Maior território escravocrata do hemisfério ocidental, o Brasil recebeu cinco milhões de cativos africanos, 40% do total de 12,5 milhões embarcados para a América ao longo de três séculos e meio".

Brasil
"Como resultado, o país tem hoje a maior população negra do planeta, com exceção apenas da Nigéria". "Foi também, entre os países do Novo Mundo, o que mais tempo resistiu"...

Último
... "a acabar com o tráfico de pessoas e o último a abolir o cativeiro, por meio da Lei Áurea de 1888, quinze anos depois de Porto Rico e dois depois de Cuba".

Impacto
"Experiência mais determinante na história brasileira, a escravidão teve um impacto profundo na sociedade, na cultura e no sistema político-econômico"...

Nacional
... "que deu origem ao país após a Independência. Nenhum outro assunto é tão importante e tão definidor de nossa identidade nacional". Só mais uma nota para encerrar.

Ajuda
"Estudá-lo ajuda a explicar o que fomos no passado, o que somos hoje e também o que seremos daqui para a frente". Após um sumiço das livrarias o livro voltou e eu comprei.

441
Se tudo correr como espero, tentarei triturar as 441 páginas do livro, com revisões e anotações de Alberto da Costa e Silva. A obra é editada pela Globo Livros.

Livro
A quem interessar possa, recomendo: acho que vale a pena procurar a livraria de sua preferência e buscar este livro. Só o conhecimento da história mostra o caminho do amanhã.

Índia
Bolsonaro viajou ontem (23) para Nova Delhi, para assinar entre 10 e 12 acordos comerciais visando à cooperação nas áreas de segurança cibernética, saúde e energia.

2019
O encontro bilateral foi confirmado durante a Cúpula dos Brics, que reuniu representantes de Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul em novembro de 2019.

Afins
O primeiro-ministro indiano Narendra Modi, de extrema direita, é o político com quem Bolsonaro demonstra maior afinidade no bloco, segundo analistas.

 

 


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados