Análise

Gratidão

A gratidão não é apenas a maior das virtudes, senão que engendra todas as outras

29 de Dezembro de 2012 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Raquel Lhullier

Neste final de ano, em meio a tantos balanços, expectativas e clima de promessas, gostaria de refletir sobre um dos sentimentos que acredito ser um dos mais nobres que existe, a gratidão. De acordo com o filósofo Cícero: “A gratidão não é apenas a maior das virtudes, senão que engendra todas as outras”. No seu conceito mais simples é o ato de reconhecimento de uma pessoa por outra que lhe prestou um benefício, um auxílio, um favor. Ao refletir sobre gratidão penso na sua ligação com a empatia. Esta capacidade de nos colocarmos diante do outro e assim reconhecer o que de bom ele faz por nós. Partindo da empatia, temos a gratidão como um belo exercício para praticarmos com os nossos filhos como um grande modelo para as suas vidas.

Mas o quanto conseguimos ser gratos em relação ao que já vivemos, aos amigos, a natureza, a família que temos e as pessoas com quem convivemos? E mais do que uma consciência interna, conseguimos expressar a gratidão com um simples olhar, um obrigado e gestos que demonstram nossos sentimentos?

Facilmente podemos entrar num ritmo de insatisfações, desejar cada vez mais e ter sempre pressa com o risco de cairmos na armadilha de não conseguir avaliar o que realmente é necessário e importante.

Esta insaciabilidade pode cultivar para nós e os nossos filhos a ingratidão como hábito e acabar nos impedindo de tirar o proveito do que existe. Além disso infelizmente podemos acabar valorizando o outro justamente na sua ausência.

O ano está chegando ao fim com a esperança de dias melhores para o próximo ano que se aproxima. Mas para toda mudança temos que aprender a nos desapegarmos e agradecer. Modificar paradigmas, desfazermos de velhos hábitos, reavaliarmos crenças e comportamentos nocivos. Exercitar a aceitação e porque não nos percebermos de uma nova maneira até então desconhecida ou considerada como estranha? Este é um ótimo momento para refletirmos com os filhos sobre os aprendizados de um ano que está finalizando, a gratidão diante dos ganhos e crescimentos em meio a possíveis desafios e sobre o que podem modificar em si mesmos.

Acredito que uma das grandes belezas da vida está nas oportunidades que temos de nos recriarmos e recomeçarmos sempre mas principalmente conectados com o afeto.

Colocarmo-nos no lugar do outro e olharmos além do nosso redor. Nunca é tarde para exercitarmos a gratidão e o respeito nas nossas relações afetivas e diante da vida. Gostaria de encerrar com um trecho traduzido da canção Gracias a la vida, composta pela chilena Violeta Parra:

Graças a vida que me deu tanto

Me deu o riso e me deu o pranto

Assim eu distingo fortuna de quebranto

Os dois materiais que formam meu canto

E o canto de vocês que é o mesmo canto

E o canto de todos que é meu próprio canto”

Um feliz 2013!


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados