Editorial

Esperança renovada

15 de Setembro de 2020 - 08h19 0 comentário(s) Corrigir A + A -

O anúncio da retomada dos testes de uma das vacinas contra a Covid-19 no final de semana renova as esperanças no mundo inteiro. Desde que a crise sanitária se instalou, a única forma de combatê-la e voltarmos ao nosso saudoso normal é uma fórmula capaz de imunizar a população contra o novo coronavírus.

Depois da suspensão dos testes na última semana e das dúvidas sobre a segurança das doses, a farmacêutica AstraZeneca informou que reiniciaria, ontem mesmo, as testagens no Brasil. A empresa é responsável pelo projeto conhecido como vacina de Oxford. As aplicações, já na fase 3 do estudo, foram suspensas há uma semana devido à uma reação relatada por uma voluntária no Reino Unido.

A Anvisa, que no último sábado deu sinal verde à continuidade dos testes, informou que seguirá acompanhando todos os eventos adversos observados durante o estudo e, caso seja identificada qualquer situação grave com voluntários brasileiros, irá tomar as medidas cabíveis para garantir a segurança dos participantes.

Na semana passada a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) assinou o contrato de Encomenda Tecnológica (Etec) com a AstraZeneca. O documento garante o acesso a 100,4 milhões de doses do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) para o processamento final (formulação, envase, rotulagem e embalagem) e controle de qualidade, ao mesmo tempo em que garante à Fiocruz a transferência total da tecnologia. A produção da vacina, denominada ChAdOx1 nCoV-19, está sendo viabilizada pela MP 994/20, publicada em 7 de agosto, que abre crédito extraordinário de R$1,9 bilhão para o Ministério da Saúde.            


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados