Editorial

Erro e recuo

06 de Novembro de 2019 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

O governo do Estado recuou e cancelou as medidas anunciadas segunda-feira para o Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2020: o fim do desconto para quem pagasse antecipadamente e também o fim do parcelamento pelo final da placa, concentrando tudo no primeiro mês do ano.

A decisão foi informada ontem pelo governador Eduardo Leite (PSDB), frente à forte repercussão negativa da medida. Políticos, empresários, lojistas e principalmente a população gaúcha não pouparam críticas. A dificuldade financeira do Estado todos conhecem, mas sacrificar ainda mais o contribuinte para amenizar a crise deveria ser regra banida da cartilha das gestões. E o imposto pago pelo IPVA, diga-se, está entre os maiores que os cidadãos precisam honrar todos os anos.

"... estamos revendo nossa posição e voltaremos a discutir o tema no próximo ano, para discussão na Assembleia Legislativa", disse Eduardo Leite, logo após uma reunião com deputados. O governador acertou ao reconhecer o erro, mas errou ao cancelar o parcelamento sem ouvir as forças representativas, a sociedade, algo que pretende fazer daqui para frente, sem novas surpresas. Desgaste que poderia ter evitado.

O povo, ao contrário, reagiu, pois já vai longe o tempo em que qualquer decisão antipática era aceita e o máximo que produzia eram caras feias. Hoje a população opina, manifesta-se, pressiona e cobra dos governantes ao se sentir prejudicada. Sabe que paga muito e não suporta mais ser a válvula de escape para a falta de recursos.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados