Artigo

Conflitos reais na era virtual

07 de Dezembro de 2021 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por Neiff Satte Alam - professor

"O meio eletrônico torna muita (mas não toda) informação disponível a muitos (mas não a todos). Mas esta disponibilidade de informação é sempre, como toda e qualquer informação de conhecimento, também, um exercício de poder capaz de produzir hegemonias, excluir saberes e vozes e constituir novas hierarquizações de saber e poder. Para o meio eletrônico vale também o conceito de "saber-poder" de Michel Foucault (toda forma de saber é também e simultaneamente um exercício de poder). Examinar e criticar a informação eletrônica como um tal "saber-poder" é uma das tarefas cruciais do esforço para a utilização pedagógica do computador".(Sérgio Bellei, 2002, pp.102-103)

A utilização pedagógica dos meios virtuais e eletrônicos de difusão do conhecimento/informação através de softwares educacionais torna-se uma exigência absoluta nas escolas regulares de todo o mundo. O verdadeiro paradoxo proposto por Bellei no texto apresentado, está na utilização necessária, por ser mais fácil, dos meios eletrônicos de captação de conhecimento/informação e o risco de abandonarmos os meios tradicionais relativo aos livros em bibliotecas, pois, no primeiro caso (livros eletrônicos), há uma limitação e de certa forma controle do que se lê, mas a informação é mais selecionada, no segundo caso, há uma liberação descontrolada de informação (lixos da internet). Qualquer pessoa que tenha um modem e uma linha telefônica poderá incluir no acervo da internet o que bem entender, por mais absurdo ou errado que seja, pois o controle de qualidade tem se mostrado insuficiente para separar o joio do trigo.

Cabe à escola este papel, inicialmente equipando-se e formando um grupo de professores, pedagogos e especialistas em informática para compatibilizar os procedimentos pedagógicos necessários à construção do conhecimento dentro dos pressupostos da pós-modernidade, onde a não-linearidade parece se adequar à multimídia, hipertextos e outros caminhos da informatização.

Os educadores terão que preparar o terreno para que uma pedagogia relacional, eficiente e não mecanicista, possa prosperar. Para tanto serão necessários estudos cuidadosos dos meios de ensino/aprendizagem oferecidos pela mídia eletrônica.

A informação acumulada nas últimas décadas supera em muito toda a informação obtida pela civilização desde os últimos 5.500 anos. Hoje, em razão disto, é necessário que se utilizem meios de obtenção desta informação, e respectiva transformação em conhecimento, mais eficientes e rápidos. A informática oferece estes meios, mas têm que ser trabalhada de forma a impedir que a facilidade imposta pelos hipertextos e links promova dispersões na busca da construção de competências.

De qualquer sorte, a aplicação de softwares educacionais associados a uma utilização competente da internet poderá viabilizar uma maior facilidade de aprendizado entre os alunos com diferentes velocidades ou oportunidades de obtenção de informação/conhecimento fora da escola: "...Os alunos melhor dotados em capital cultural e melhor acompanhados por suas famílias seguirão de qualquer maneira, seu caminho, seja qual for o sistema educacional. O alunos "médios" acabarão encontrando uma saída, ao preço de eventuais repetências ou mudanças de orientação. À sorte dos alunos em reais dificuldades é que se pode medir a eficácia das reformas." (PERRENOUD, Construir as Competências desde a Escola, 1999, p.71)


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados