Editorial

Começam os sinais da recuperação

24 de Setembro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Há seis meses o país vive em meio a uma das maiores crises sanitárias da história mundial. Desemprego, recessão, inflação são palavras que assustam e que rondam a vida dos brasileiros diariamente. Ontem, contudo, uma boa notícia veio da indústria de construção civil. Segundo dados divulgados, o segmento encontra-se em recuperação.

O levantamento faz parte da Sondagem Indústria da Construção, feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e aponta a melhora nos índices de atividade e do número de empregados.

Segundo a CNI, os índices não só estão crescendo desde maio, "mostrando desempenho cada vez mais favorável", como são os melhores desde julho de 2011. O índice de evolução do nível de atividade registrou 51,4 pontos em agosto, alta de 3,3 pontos frente a julho. O indicador varia de zero a cem. Ao ficar acima da linha divisória de 50 pontos, aponta para aumento da atividade no mês.

O índice de evolução do número de empregados aumentou 2,7 pontos, alcançou 49,5 pontos, e está praticamente sobre a linha divisória.

Outro que foi impulsionado foi o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI-Construção) com alta de 2,7 pontos no mês, atingindo 56,7 pontos. Conforme divulgação da Agência Brasil, esta é a quinta alta consecutiva do índice, que acumula crescimento de 21,9 pontos no período. Com a alta, o ICEI-Construção se distancia de sua média histórica (53,5 pontos) e da linha divisória de 50 pontos, que separa confiança de falta de confiança.

Entre os componentes do ICEI-Construção, o Indicador de Expectativa aumentou 1,7 ponto e o de Condições Atuais, 4,6 pontos. O índice de Condições Atuais foi a 46,1 pontos, ou seja, mostra que o empresário ainda percebe o impacto da crise em suas condições de negócios. Por outro lado, o índice de Expectativas alcançou 62 pontos, mostrando otimismo disseminado pela indústria da construção.

Os indicadores de expectativas do nível de atividade e de novos empreendimentos e serviços registraram 56,1 e 55,5 pontos, após crescimento de 1,8 e 2,3 pontos, respectivamente.

A intenção de investimento alcançou 44,4 pontos em agosto, após aumento de 4,9 pontos. É a quarta alta consecutiva do indicador, que agora se situa no mesmo nível registrado para fevereiro, na pré-pandemia.

Na maioria dos estados o segmento foi incluído como serviço essencial nos protocolos de restrição à Covid-19, contudo, apontar para cima, como vem sendo os índices dessa área é nos abastecer de esperança de que, mesmo ainda sem o antídoto para barrar o vírus, estamos conseguindo avançar na reconstrução do grande estrago deixado por ele. No país, o setor é responsável por dois milhões de empregos diretos com carteira assinada.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados