Comentário

CEBehrensdorf de Brasília

Na coluna do CEBehrensdorf desta sexta-feira (28), confira as crônicas enviadas diretamente da capital federal. E-mail: cebehrensdorf@uol.com.br

28 de Junho de 2013 - 09h10 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Inacreditável
Entrei pela primeira vez no Congresso Nacional em outubro de 1963. A segunda vez, em 1970. A partir de abril de 1975 comecei minha caminhada como repórter. Continuo até hoje. Vi muita coisa. Nunca, em todo este tempo, pensei ver e ouvir Renan Calheiros como presidente do Senado anunciar corrupção como crime hediondo. Contando, ninguém acredita.

Falou
“Os parlamentos do mundo inteiro convivem com matérias que, embora sejam unanimidades, são unanimidades estáticas. O Senado Federal está fazendo de tudo para removê-las". Macho véio...

Cariocada
Na terça, 25, os deputados estaduais do Rio de Janeiro aprovaram o Projeto de Lei Complementar 19/2013, de autoria conjunta do Poder Judiciário e Poder Executivo.

Saldo
O projeto autoriza ao Judiciário transferir 25% do saldo dos depósitos judiciais para o Executivo. O depósito judicial é dinheiro que pertence às partes e não ao TJ.

Bilhões
O Estado do Rio deve hoje, de precatórios, mais de 4 bilhões de reais. O valor dos depósitos judiciais ultrapassa os 10 bilhões de reais. É uma super-Mega-sena acumulada.

Precatório
É grana viva devida pelos governos. O papel é quente. Comprar ou vender não é ilegal. Quase sempre são vendidos muito abaixo do valor real pelos credores sem esperança de receber.

No RJ
Há quem compre com “descontão” que oscila entre 30% e 70%, dependendo da pressa ou da necessidade do possuidor do papel. Há escritórios que cuidam do assunto com o maior carinho.

Protesto
Minhas respeitáveis leitoras, meus queridos leitores: decidiram onde será o vosso protesto? Quem sabe no Lobão - churrascaria ou galeteria - para ver a final da Copa das Confederações?


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados