Artigo

Carta aos que têm esperança

04 de Dezembro de 2021 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por Luiz Fernando Mainardi, deputado estadual do PT

Os últimos dois anos foram bem duros para todos nós. Convivemos com a pandemia, que nos deixa como legado mais de 600 mil mortes no Brasil, quase 40 mil no Rio Grande do Sul. Muitos de nós perdemos parentes ou amigos. E saber que quase 80% dessas mortes poderiam ter sido evitadas não é fácil, eu sei. Mas não foi só isso.

Convivemos também com uma crise econômica, com aumento acelerado da inflação, com governos pouco atentos às necessidades da população e avessos ao diálogo. Se considerarmos que nos dois primeiros anos de Bolsonaro (2019/2020) a inflação já chegou a 10,3% e em 2021 está previsto mais de 10%, teremos uma inflação de mais de 21% durante essa gestão. Mas o salário dos trabalhadores se mantém em patamares muito abaixo disso. Somos também o 4º pais com maior número de desempregados no mundo inteiro. O resultado foi o retorno da fome, da miséria ao nosso país.

Tivemos ainda riscos para a democracia, com provocações explícitas do presidente ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Congresso. Riscos também para o próprio serviço público, com a retomada de uma política antiga que nunca deu certo, de venda de estatais, que estão sendo torradas no mercado das privatizações. Isso feito de forma muito mais explícita, ainda, pelo governador Eduardo Leite, que precisava se legitimar junto ao "mercado" para pleitear a vaga de candidato à Presidência pelo PSDB. Azar do povo.

Mas mesmo neste contexto, também temos razões para olhar o futuro com esperança. A sociedade brasileira, mas também a gaúcha, está observando essa situação, comparando com o passado e organizando suas perspectivas de futuro. É muito fácil neste momento termos aquele pensamento tradicional: "éramos felizes e não sabíamos". Os retrocessos que estamos sofrendo, em todas as áreas, são quase inacreditáveis.

O que posso dizer neste momento é que estamos juntos. O ano de 2022 será um ano em que vamos manter a luta pela valorização do trabalho e do trabalhador, da justiça social, da democracia e dos valores da fraternidade. E vamos apostar na paz e na força da fé.

Acredite! 2022 vai ser bom. E 2023 será muito melhor.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados