Comentário

Carlos Eduardo Behrensdorf

06 de Janeiro de 2017 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Uma publicidade barata
Entre 2007 e 2016 foram gastos R$ 278,73 milhões com a "divulgação (publicidade) da atividade parlamentar". Toda a grana teve ressarcimento por meio da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, o "cotão", uma espécie de saco sem fundo que custeia todo tipo de gasto: de panfletos a consultorias. A informação é do Cláudio Humberto, no Diário do Poder. Aproveito a onda e surfo dizendo que os gastos para fazer propaganda não constam do razoável salário mensal de R$ 33,7 mil dos deputados. Na atual legislatura, Tia Eron (PRBBA), que no Conselho de Ética deu o tiro mortal para cassar Eduardo Cunha, gastou R$ 552 mil.

Relaxe
Para que nenhum eleitor fique preocupado, informo: cada deputado federal (são 513) pode receber até R$ 45 mil por mês para gastos com a verba indenizatória. Fique frio...

Análise
O Senado Federal analisa a PEC 38/2016 que reduz o número de deputados federais para 405. O projeto do senador Álvaro Dias (PV/PR) promete acalorados discursos em fevereiro.

Proporção
Pelo projeto, o número mínimo de deputados passará de oito (8) para quatro (4), nos estados com menor população, e o número máximo de 70 para 50, nos estados mais populosos.

Sazonal
Rodrigo Maia diz que candidatura oficial à Presidência da Câmara dos Deputados ainda não está madura. "Não é hora de oficializar minha reeleição ao cargo." Se demorar, apodrece.

Limites
"Nenhum governador aguenta mais ficar sem recursos sequer para pagar seu funcionalismo. Importa menos saber de quem é a culpa, se dos Estados ou da União." (Carlos Chagas)

Fatos
"A verdade está nos fatos. Não demora muito ver gaúchos, paulistas, nordestinos ou amazônidas rendendo-se à necessidade de sobreviver." (Carlos Chagas)

Gritos
"O poder central fracassou. A União não une mais nada. Pelo contrário, divide, suga e assalta. Logo começarão protestos e gritos de independência." (Carlos Chagas)

Falido
O resumo do resumo: o massacre que deixou 56 mortos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (AM), mostra bem mais do que um sistema prisional falido.

Ninguém
É o quadro da falta de articulação entre os poderes. Ou seja, incompetência para administrar uma questão que se arrasta há décadas. Ninguém aponta solução no médio prazo.

Chamada
Falando em resumo, informo que segunda-feira próxima (09) tentarei comprimir neste espaço um artigo de atualidade histórica de Pedro Augusto Pinho, o Avô Aposentado!

E-mail: cebehrensdorf7@gmail.com

 


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados