Artigo

Bouquet do Amor ... O amor vai longe

29 de Outubro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Maria Eulalie Fernandes, pescadora do Amor

Estamos vivenciando o mês de outubro - o mês das missões. Missão é a minha vida. Minha vida é missão. Que vida? Uma vida de paz, de serenidade. Uma vida de busca de santidade, uma vida que me leva a fazer a vontade de Deus e colocá-Lo em primeiro lugar na minha vida. Uma vida em que as relações me levam a reconhecer o Cristo em cada pessoa. Uma vida de amor.

Mês de outubro, mês de muitos grandes Santos - Santa Terezinha do Menino Jesus, Santos Anjos da Guarda, São Francisco de Assis, São Benedito, Nossa Senhora Aparecida e Santa Teresa d'Avila. Essa grande santa e doutora da Igreja nos diz: "Nada te perturbe e nada nada espante, tudo passa, só Deus permanece". E eu perturbada com a 39º Campanha do Bouquet do Amor. E eu espantada em como será a Pesca Milagrosa no meio de uma pandemia. Aprofundando meu pensamento na história de Teresa, a grande, lembro um dos seus maiores ensinamentos: Rezar, rezar, rezar. É o que eu devo fazer.

Toca o sino da Catedral anunciando que a Santa Missa vai começar. Que maravilha! Que benção! A missa é a maior oração. Voltam a acontecer as missas! Abrem-se as portas das Igrejas. Vou ouvir a Palavra do Senhor e aprender o caminho da perfeição. Vou me alimentar do Pão da Vida. Vou tocar no meu Deus! Minha fé ainda pequena, como da hemorroíssa, mas sei que tocando em Jesus o milagre vai acontecer.

Entro na Igreja momentos antes da missa começar ... tempo suficiente para fazer um exame de consciência. O que fiz nesse tempo de pandemia? Um grande deserto - Deus e eu, eu e Deus! Tempo de oração, tempo de contemplação, tempo de conversão, tempo de ação, tempo de entrega, tempo de abandono.

Olho para o altar - do lado direto do púlpito pendurado um cartaz "2020 - Ano da Palavra" e no púlpito do lado esquerdo outro cartaz "Minha Palavra não passa". No chão aos pés do púlpito, uma mesinha simples e rica: um Bíblia, castiçal com a vela acesa e uma imagem do Cristo crucificado. Paro meu olhar na imagem do Cristo crucificado, tudo isso por mim e eu por ti? Muito pouco ou quase nada. Penso ainda é tempo de fazer mais, muito mais, tudo o que me pedires, tudo para completar Teu sofrimento na cruz.

Começa a Santa Missa, grande mistério das realidades de Cristo, Paixão, Morte e Ressurreição. Tudo se torna presente no altar, magnânimo mistério. Ouço as leituras bíblicas com atenção, é o Pão da Palavra. Chega o grande momento da comunhão, momento de tocar e comungar o meu Deus. Comungar Jesus é comungar o irmão, é receber Jesus! Estar junto da cruz e da luz. Encontrar o Sérgio. Encontrar a verdadeira paz. É força para as tribulações, é o caminho para o progresso espiritual para onde se vai ao Reino dos Céus.

Saio da missa renovada. Certa que o milagre vai acontecer. Como Pedro obediente lanço as redes no mar negro, outros vêm ajudar, as redes vão arrebentar. Em um dos barcos está o movimento de Emaús comemorando seus 45 anos de Evangelização, jovens e adultos que mais de pescadores tornaram-se Pescadores de Homens.

O amor vai longe ... pensar, rezar, confiar, trabalhar, arrecadar, distribuir, tricotar, agasalhar.

Convido a todos os leitores a fazerem a grande experiência da Pesca. Jesus convida, assim como Pedro, a homens, mulheres e crianças a serem instrumentos do milagre. Convido também a participarem da live do dia 31, às 19 horas, no facebook, grupo "Bouquet do Amor".

Como diz São Lucas, após a Pesca Milagrosa "reconduziram os barcos à terra deixando tudo eles O seguiram" (cap 5,11).

Todo meu carinho.

Toda a minha gratidão.

Todas as minhas orações.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados