Artigo

As obras rodoviárias em tempos de pandemia

27 de Maio de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Por: Juvir Costella, secretário estadual de Logística e Transportes

Apesar das restrições socioeconômicas para o combate ao coronavírus, as obras nas rodovias estaduais gaúchas têm avançado nos últimos meses. Como ações estratégicas para a mobilidade e a economia, é entendimento do Governo do Estado que as melhorias nas estradas devam seguir com o menor impacto possível.

A ERS-118 é o melhor exemplo. Mesmo durante a pandemia, a duplicação dos 21,5 quilômetros entre Sapucaia do Sul e Gravataí se aproxima da conclusão. Em abril, liberamos o tráfego em 16,5 quilômetros de pistas centrais. O cronograma já alcança 90 por cento _ o que reforça nossa previsão de entrega da principal obra rodoviária do Estado ainda em 2020.

Da mesma forma, finalizamos outro projeto aguardado há mais de vinte anos pela sociedade: o viaduto da ERS-040, em Viamão. Com investimento de R$ 20 milhões, conseguimos eliminar os congestionamentos nessa importante rota entre a Capital e o Litoral Norte.

Também demos sequência a obras fundamentais no interior. Em Piratini, na Zona Sul, concluímos a nova Ponte do Costa, que qualificará o tráfego na chegada à cidade. Entregamos, ainda, as ligações asfálticas entre Guabiju e São Jorge e aos municípios de São José do Hortêncio, Santo Antônio do Palma e Capitão. Além disso, na ERS-168, em Bossoroca, recuperamos o pavimento de um dos pontos mais críticos de nossa malha rodoviária.

Nos próximos dias, mais municípios receberão o seu acesso asfáltico _ como Boqueirão do Leão, Carlos Gomes, Muliterno e Cândido Godoi. Também iniciamos a pavimentação entre Cambará do Sul e São José dos Ausentes e entre Nova Roma do Sul e Antônio Prado. Somado a obras que serão retomadas neste semestre, o investimento ultrapassa R$ 47 milhões, com recursos do Estado.

Temos convicção de que a sociedade vencerá essa árdua guerra contra a covid-19. Por isso, precisamos proporcionar melhores condições de logística e transporte à população: hoje, para garantir o abastecimento de produtos e serviços essenciais; amanhã, para que a economia encontre rodovias preparadas para retomar o crescimento.


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados