Editorial

A Zona Sul acertou

04 de Dezembro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Iniciativa criada há uma década pela Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) mostra-se agora mais do que acertada, a partir dos resultados da Pesquisa de Informações Básicas Municipais (Munic 2019), publicada no site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o levantamento, a busca pelos consórcios públicos como instrumento de cooperação cresceu 66,3% desde 2015. Ocorre que muito antes disso a região passou a colher os frutos de um projeto benéfico a todos, a constituição do Consórcio Público Municipal do Extremo Sul.

Na época, inclusive, a ideia recebeu destaque da Presidência da República (o presidente era Luiz Inácio Lula da Silva - PT): "A Metade Sul é um exemplo de maturidade política para o enfrentamento das questões administrativas visando a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos".

A parceria das prefeituras para fortalecer a busca por serviços de forma conjunta transformou a coletividade em uma boa "arma" no momento de disputar principalmente melhores preços junto ao mercado. Mas não apenas isso. Criou outro cartão de visitas na hora de se apresentar a parceiros em potencial, com bem mais peso do que iniciativas isoladas.

O projeto pensado pela Azonasul lá atrás hoje é comungado por 69,2% das cidades brasileiras, que fazem parte de pelo menos um consórcio público. Instrumento, diga-se, que vem crescendo ano a ano no país - era 9,3% em 2015 e ampliou para 13,8% em 2019.

Segundo o IBGE, os consórcios intermunicipais vêm sendo utilizados por mais de 84% dos municípios em todas as grandes regiões e classes da população.

 


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados