Editorial

A segunda onda chegou?

25 de Novembro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

O Brasil repete o cenário de países da Europa e vive o início de uma segunda onda da pandemia da Covid-19. A afirmação é de um grupo de cientistas de universidades públicas, que lançou nota técnica sustentada nos números atuais do novo coronavírus no país.

É fato que a flexibilização registrada nos estados e municípios nos últimos meses, acreditando-se que o pior já havia passado, ainda sem uma orientação mais forte da população, como aquela observada nos meses iniciais, vem contribuindo para aumentar o contágio. O vírus segue em circulação e os mecanismos de segurança presentes no dia a dia foram afrouxados. Pessoas circulam sem máscaras, festas e eventos voltam a acontecer sem controle de acesso e as cidades resgatam com velocidade a rotina antes da pandemia.

O resultado disso aparece também rapidamente. Nas últimas semanas, os gráficos voltaram a ter picos de contaminações e mortes, e os hospitais passaram a lidar com lotações de leitos, após um rápido alívio.

Para os seis pesquisadores autores da nota técnica - integrantes da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Campus Salvador (IFBA), da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Universidade do Estado da Bahia (Uneb) e da Universidade de Brasília (UnB) - é necessário que as autoridades se dediquem a ações que reduzam esse impacto, de registros e óbitos. Para eles, ainda, as causas da segunda onda no Brasil passam, entre outros motivos, pela carência de uma "política central coordenada, clara e eficaz de enfrentamento da situação" e pelo "afrouxamento das medidas de isolamento sem evidências empíricas, sem uma análise cuidadosa por uma painel de especialistas".


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados