Editorial

A maconha e os jovens

14 de Janeiro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Maior risco de depressão, ansiedade e comportamento suicida na idade adulta foram alguns dos principais impactos identificados por um estudo canadense, publicado na revista Jama Psychiatry, da Associação Médica Norte-Americana, sobre o consumo de maconha por jovens ao longo dos anos.

O trabalho científico buscou analisar casos de depressão, ansiedade, ideação suicida e tentativa de suicídio. Os principais resultados apontaram que, comparando indivíduos jovens não usuários da droga, os consumidores da droga na idade adulta apresentam risco 37% maior de desenvolver depressão; têm 50% mais chances de pensamentos suicidas e risco triplicado de tentativa de suicídio.

O trabalho promovido pelo Programa de Reparo do Cérebro e Neurociência Integrativa (BraIN) da Universidade McGill, no Canadá, revisou 11 estudos internacionais, que envolveram 23.317 pessoas com idades entre 18 e 35 anos. Ele fortaleceu ainda os dados de outra pesquisa já realizada, com estudantes adolescentes entre 12 e 18 anos, que utilizavam maconha com frequência. Entre eles, constatou-se maior possibilidade de lesões permanentes na inteligência, na memória, na capacidade de concentração, além de maior propensão a sintomas psicóticos.

Segundo o Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (Lenad), de 2012, 1,5 milhão de adolescentes e adultos fumavam Cannabis diariamente no Brasil - 62% tiveram o primeiro contato com a substância antes dos 18 anos. Em 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), a Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (Abead) e cientistas brasileiros se posicionaram contra a legalização da droga por não ter os impactos na estrutura psíquica comprovados. (Com informações da Agência CNM)


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados