Artigo

A busca do prazer que destrói a felicidade

20 de Janeiro de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

A busca do prazer pelo prazer é uma rotina hedonista.

O hedonismo consiste em uma doutrina moral onde a busca pelo prazer se torna um dos únicos propósitos da vida, e assim eu vivo o prazer de hoje em detrimento do esforço para conseguir algo melhor amanhã. Um bom exemplo disso é aquela saída com os amigos ou com o (a) parceiro (a) no meio da semana, por que tem uma festa ou um show que não posso perder, mesmo sabendo que posteriormente a essa data eu preciso fazer uma apresentação na faculdade ou até mesmo na reunião da empresa. Eu nego um esforço para alcançar algo supostamente melhor, e acabo tendo um baixo desempenho por não ter me preparado o quanto deveria e logo me sinto frustrado por perder a chance de ter feito uma excelente apresentação na empresa, ou por ainda não ter conseguido a nota que gostaria na faculdade.

O hedonismo rouba nossa felicidade disfarçado de prazer imediato, com uma promessa de que vivo o hoje primeiro e o amanhã depois eu vejo.

A felicidade, segundo pesquisadores, não está no prazer momentâneo, e sim na capacidade de se manter fiel ao seu propósito, e na experiência de participar de atividades ou eventos onde você se sinta doando algo, sem esperar ou receber nada em troca.

Ela não é uma variável instantânea, pelo contrário, ela é medida por quanto você consegue se manter feliz quando não está em momentos de pico.

Toda vez que você realiza algo novo, conquista uma meta ou faz algo que você gosta muito, você entra em um pico de felicidade que não é perene, senão você sofreria um ataque cardíaco por não aguentar a pressão.

Também existem os momentos neutros, aqueles que não fazem diferença alguma em nossas vidas, e os momentos de baixa felicidade. Aqueles em que você sente saudade de alguém, os que você sofre uma perda ou uma decepção. Nesses momentos também não se pode medir a felicidade.

Então, o que os pesquisadores fizeram foi isolar o quanto você se sente feliz quando subtrai da sua vida os momentos de baixa, os neutros e os de pico.

Nessa avaliação você chega a uma felicidade autêntica, sentida e vivida por algo maior, de forma consistente e com significância.

Algumas são as circunstâncias que impactam nessa felicidade.

São elas a fé, a positividade, a gratidão, os relacionamentos sociais, amorosos e ter uma razão clara de fazer o que você faz todo dia.

As pesquisas indicam que a felicidade está relacionada a fazer uma atividade que faça você se sentir útil, seja ela remunerada ou não.

Dois experimentos realizados pelo pesquisador Ed O'Brien, da Universidade de Chicago, e pela pesquisadora Samantha Kassirer, da Universidade Northwestern, revelaram como nos sentimos mais felizes quando damos um significado maior a nossa ação.

Em um primeiro momento eles dividiram uma quantidade significativa de pessoas em dois grupos e deram a cada grupo a mesma quantia em dinheiro.

Ao grupo 1, disseram que podiam comprar o que quisessem para si e ao grupo 2 pediram que usassem o dinheiro para comprar algo que pudessem doar a alguém ou a uma instituição. Espantosamente o grupo 2 revelou níveis de satisfação e felicidade muito maior que o grupo 1.

Não contentes, eles repetiram o experimento com um grupo ainda maior, com uma faixa etária diferente e com um valor em dinheiro bem menor. O resultado foi o mesmo, independentemente da idade, do gênero ou do valor. Quando você doa algo você é mais feliz do que quando faz algo por si, embora fazer algo por si deixe você momentaneamente em estado de êxtase, mas se não tinha um significado maior, quando esse estado acaba vem a frustação e vários sentimentos ruins. Já quando você faz algo pelo outro, a sensação de satisfação e felicidade permanece.

Mas a pesquisa mostrou que só funciona quando você faz de forma espontânea. Doar algo só para se sentir melhor não resolve.

Então se você está buscando ser mais feliz, participe de ações solidárias, tenha um projeto de vida claro e desenvolva a positividade e a gratidão.

Você não precisa se privar de todos os prazeres e ter uma vida sofrida, apenas busque não colocar expectativas altas em prazeres pequenos e fúteis. Eles não resolverão sua vida financeira, amorosa, profissional ou espiritual.

Qualquer que seja a área da vida em que você estiver buscando a felicidade, primeiro você vai ter que olhar para você e encontrar dentro de você o que está buscando lá fora. Depois escolha um caminho e a felicidade deve estar na caminhada tanto quanto na linha de chegada.


Comentários