Editorial

Os problemas e as surpresas de nosso trânsito

22 de Outubro de 2019 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

Em uma única noite de fiscalização, agentes de trânsito, policiais da Brigada Militar e integrantes da Guarda Municipal, em ação integrada em Pelotas, foram surpreendidos por um número. Nada menos do que 61% dos motoristas parados em ruas e avenidas da cidade circulavam com algum problema em relação à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou ao veículo.

O trabalho realizado na madrugada do último sábado para domingo resultou em 42 autos de infração, oito remoções de veículos e quatro documentos retidos. E tornou evidente que, principalmente aos finais de semana, com a sensação de que o controle e o risco são menores, condutores com pendências para dirigir circulam entre os bairros.

O número de multas aplicadas pelos órgãos fiscalizadores em Pelotas é altíssimo. De acordo com o Detran-RS, até setembro deste ano já foram registradas 16.331 infrações na cidade, média de 1,8 mil por mês ou 60 por dia. Cenário que, em períodos anteriores, chegou a ser pior. No ano passado foram aplicadas 24.218 multas, em 2017 foram 38.477, em 2016 um total de 42.282 e, em 2015, 53.439.

Muito mais do que uma questão burocrática, circular sem CNH, com o documento do veículo vencido ou depois de ter ingerido álcool pode se tornar um grande problema a partir do momento em que a pessoa se vê envolvida em algum acidente ou situação tensa, onde se vê desamparada e quase nada tem a fazer em sua defesa. E números tão elevados justificam a continuidade das operações de trânsito, como vem ocorrendo, pois a cada fim de semana, mais surpresas aparecem.


Comentários