Editorial

Inércia ou omissão?

22 de Janeiro de 2021 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

O Brasil tem, hoje, mais de 213 mil mortos por Covid-19. Sozinho, o país soma 10% de todas as vidas perdidas no mundo pela pandemia, sendo que possui menos de 3% da população. São números espantosos e absurdamente lamentáveis, mas que talvez não causem sobressaltos à maioria dos leitores. Afinal, nestes quase 11 meses desenvolvemos a capacidade de normalizar algo que não tem nada de normal.

E em meio a tantas coisas que nos acostumamos e pouco paramos para pensar a respeito está a omissão de grande parte dos nossos representantes políticos. Se você é daqueles que lembra em quem votou para o Senado, Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa, é capaz de dizer que tipo de postura estes ou estas parlamentares estão tendo sobre a crise do coronavírus? Como estão reagindo diante de um cenário em que pessoas têm morrido asfixiadas, a logística de compra e distribuição de vacinas é falha, a diplomacia atrapalha negociações com fornecedores e o governo insiste em desinformar a população, contribuindo para ainda mais para que o contágio aumente?

Se seu parlamentar tem agido de forma responsável e feito seu papel de fiscalização e cobrança, parabéns. Mas é pouco. Não pode ser algo isolado, feito por um ou dois em meio a centenas ou milhares. O silêncio da maioria - que inclusive está em recesso, sem participar das já poucas sessões parlamentares - soa como um desses incompreensíveis descolamentos da realidade. Nossa classe política parece mais interessada em cargos em estruturas administrativas e mesas diretoras dos parlamentos do que em superar de uma vez por todas a pandemia. Muitos, aliás, até criticam quem pesquisa o assunto, noticia ou fiscaliza desmandos e irresponsabilidades.

Nossos representantes têm falhado. Ao cuidar cada um do seu nariz, do seu mandato, da sua foto nas redes sociais, esqueceram do todo que precisa não só de médicos, enfermeiras, agentes de saúde e tantos outros profissionais. Precisamos de compromisso público e ação de quem recebeu voto para isso. Tamanha omissão só contribui para a normalização de uma tragédia nacional. É tarde para reagir? É, mas ainda é melhor que nada.


Comentários