Editorial

A queixa do prefeito

14 de Agosto de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

O desabafo do prefeito do Chuí, Marco Antônio Barbosa (DEM), que usou as redes sociais para criticar os moradores do município, representa também o desabafo de outros gestores, já cansados de pedir apoio de suas comunidades e perceber, muitas vezes, o descompromisso das pessoas com a saúde coletiva durante a pandemia.
O mesmo discurso vem sendo insistentemente divulgado desde o mês de março, mas perdeu força no meio do caminho, quando boa parte da população deixou de respeitar as regras de isolamento e retomou uma rotina que só ajuda a colocar em risco suas vidas e a dos outros.

E foi essa a cobrança feita pelo prefeito Marco Antônio Barbosa. Palavras, aliás, já encontradas em pronunciamentos de outros líderes, de outros países até, que perderam a paciência. "Isso é uma falta de respeito que está acontecendo no nosso município. As pessoas estão brincando com a vida. Que brinquem com a vida delas! Se atirem de um precipício, mas não prejudiquem a vida dos outros", queixou-se o prefeito.

A reclamação foi feita logo após um fim de semana com o registro de festas de aniversário e aglomerações em espaços públicos, segundo ele, que apontou a identificação do problema na cidade com cerca de seis mil moradores, sem respeito ao distanciamento social.

Barbosa resumiu a vida dos prefeitos nos últimos cinco meses, de muita cobrança e decisões que têm impactado diretamente suas comunidades, sem o retorno esperado de uma parte da população. "É que a gente passa 24 horas por dia tentando cuidar das pessoas, mas a minoria não tem respeito."

E como já foi dito inúmeras vezes, a pandemia não irá recuar enquanto a causa e o modo de combatê-la não forem abraçados por todos.


Comentários