Editorial

Conhecer para prevenir

01 de Agosto de 2020 - 05h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -

A deficiência visual que mais se mostra frequente no Brasil, o glaucoma, responsável por atingir 7,2 milhões de pessoas (dados do IBGE), é também pouco conhecida de grande parte da população. É o que mostra a pesquisa Um olhar para o glaucoma no Brasil, aplicada pelo Ibope Inteligência a 2,7 mil internautas brasileiros, a partir dos 18 anos de idade, nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, Ceará e Pernambuco.

Para se ter uma ideia do nível de desinformação, a cegueira irreversível por glaucoma é desconhecida por 53% das pessoas, o que remete a outro apontamento. Da mesma forma, parte significativa da sociedade ignora a importância das consultas ao oftalmologista.

A pesquisa aproxima-se ainda do lançamento da campanha de conscientização "Não perca seu mundo de vista, tenha um novo olhar para o glaucoma", pela Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG) e a Upjohn, divisão da Pfizer focada em doenças crônicas não transmissíveis.

Outros dados também chamam a atenção. Sobre a frequência com que vão ao especialista, 10% dos entrevistados admitem que nunca foram e 25% que o fazem raramente, apenas quando algum incômodo nos olhos é identificado. Das faixas etárias mais jovens, 21% nunca tiveram contato com algum oftalmologista e 10% apenas uma vez na vida.

Ideias distorcidas também ficam evidentes. Do total da amostra, 30% acreditam que só devem procurar ajuda depois que começarem a usar óculos e 23% após perceberem alguma perda de visão. Ou seja, quando o problema surgir.

Especificamente sobre o glaucoma, a questão se torna mais complicada. A doença é a segunda causa de cegueira no mundo, atrás apenas da catarata. Porém, torna-se um desafio maior pelo fato de que a perda da visão causada pela doença ser irreversível, alerta a Organização Mundial da Saúde (OMS).


Comentários

Diário Popular - Todos os direitos reservados