Estilo
Entretenimento

A escolha é tua

No clima da quarentena, escolha o melhor em diferentes categorias pelotenses

17 de Maio de 2020 - 12h18 Corrigir A + A -
Salve a foto no computador ou celular e simule os confrontos à sua maneira

Salve a foto no computador ou celular e simule os confrontos à sua maneira

A vida é feita de escolhas. E elas são doídas, a gente sabe. Mas elas podem ser um entretenimento interessante e um assunto divertido para esse momento em que as famílias estão reunidas dentro de casa respeitando o isolamento social. Por isso, nessa edição o caderno Estilo preparou quatro copas, envolvendo temas pelotenses, para que você, leitor, escolha aquele que, dentro deles, entende como o melhor.
O funcionamento é simples: as competições respeitam o mata-mata, único regulamento possível, e iniciam nas oitavas-de-final com 16 competidores. A cada chave com dois participantes, um passa para a fase seguinte. Desses oito, quatro formam a semifinal e, na sequência, dois avançam para a esperada finalíssima. Que comecem os jogos!

O teu sabor preferido
As duas primeiras copas que preparamos foram pensadas com o intuito de reforçar o apreço que temos pela cidade. Optamos por duas com temas que traduzem muito bem Pelotas: nossos doces e nossos pontos turísticos. Reiteramos que a ideia foi escolher concorrentes mais diversos do que exatamente os melhores - até porque o conceito de "melhor" é bastante relativo, né?

A copa dos doces pelotenses, por aqui, apostamos que será a mais doída em quem for tentar fazê-la. A cada escolha, uma pontada no coração. Tem para todos os gostos: desde versões com frutas, como o bombom de morango e a trouxinha de damasco, até clássicos como trouxinha de nozes, pastel de Belém e pastel de Santa Clara, passando ainda por maravilhas de ovos como ninho, papo de anjo e quindim e ainda opções mais alternativas, mas não menos gostosas, como o toucinho do céu.

A dica, para uma decisão mais sensata, é pedir um delivery das tradicionais doçarias de Pelotas, provar cada um dos competidores e fazer com que as escolhas sejam mais saborosas do que doloridas.

O teu lugar preferido
A segunda copa mexe com a memória afetiva do pelotense. São os pontos turísticos da cidade se digladiando em uma acirradíssima competição em que o leitor escolhe aquele que mais lhe agrada. Tanto ou mais que a dos doces, essa copa tem um caráter bastante individual: possivelmente contam aqui muito mais as lembranças que cada pessoa tem nos locais do que exatamente a beleza ou as atrações que cada um oferece.
Aqui, também optamos por selecionar competidores diversos. Temos desde espaços mais clássicos, como as charqueadas e o Centro Histórico, chegando até aqueles que representam a diversão, tendo a noite portuária como a principal representante, passando pelo híbrido das duas vertentes, caso do Mercado Central.

Também estão presentes lugares de paz, como o Laranjal, o Recanto de Portugal e o Quadrado, pontos religiosos, como a Catedral Metropolitana São Francisco de Paula e o Santuário Nossa Senhora de Guadalupe. Completam a lista a Colônia Z-3, as cachoeiras do interior, o Las Acácias, o Pontal da Barra, o Arroio Pelotas, o Parque da Baronesa e o Balneário dos Prazeres.

O teu jogador preferido
Para as outras duas copas, decidimos utilizar o futebol, outra verdadeira paixão do pelotense. E numa cidade com tão bonita história no esporte, não faltam ídolos com trajetórias marcantes para competir em batalhas que definirão o melhor jogador da história do Brasil e o melhor jogador do Pelotas. Ambas as seleções passaram pelo crivo de torcedores da dupla.

No caso do rubro-negro, sabemos que é difícil alguém tirar o título das mãos de um certo uruguaio tão carismático quanto bom de bola. Mas a caminhada recheada de momentos marcantes, como o título gaúcho de 1919, o terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de 1985 e os recentes acessos sob o domínio de Rogério Zimmermann, fazem com que a brincadeira seja válida.

E estão representados atletas de todas essas fases: lá do início do século 20, participam Babá, um dos primeiros negros a atuar em um clube da cidade, e Alvariza, o primeiro jogador de fora do eixo Rio-São Paulo a ser convocado para a Seleção Brasileira. Do time de 1985, são vários os representantes: Lívio, Doraci, Hélio e o artilheiro Bira. Dos tempos mais recentes, Cirilo e o goleiro Eduardo Martini estão na disputa. Completam a copa xavante nomes obrigatórios como o goleiro Osvaldo e o meio-campista Luizinho, que depois viria a ser treinador da equipe.

A história igualmente rica do Esporte Clube Pelotas rendeu também discussão entre os torcedores. Com tanta gente merecendo uma vaga, a opção foi por escolher aqueles que tiveram trajetória mais marcante pelo Lobo, preterindo nomes que surgiram na avenida, mas foi longe dela que mais brilharam - Michel Bastos o maior exemplo.

Assim como no Xavante, aqui tem gente de diversas épocas. O primeiro jogador do clube a ser convocado para a Seleção Brasileira, Xingó, está lá. Tem campeão gaúcho, como Mário Reis. Tem também grandes duplas, como Tiago Duarte e Sandro Sotilli. E, claro, não dava para esquecer quem brilhou em clássicos, caso do artilheiro Flávio Minuano e Alexandre Xoxó. Somam-se a eles nomes importantes como Bedeuzinho, Oscar Urruty e Ademir Alcântara.

Abra a foto ao lado e simule os confrontos à sua maneira.

 

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados