Estilo
Turismo

Em solo lisboeta

Capital de Portugal oferece programação que envolve história, gastronomia, natureza, cultura e tecnologia

21 de Setembro de 2019 - 12h32 Corrigir A + A -
Bondinhos amarelos podem ser pegos na Praça da Figueira (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Bondinhos amarelos podem ser pegos na Praça da Figueira (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Livraria Bertrand é mais antiga do mundo em funcionamento (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Livraria Bertrand é mais antiga do mundo em funcionamento (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Praça do Rossio é o coração da cidade (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Praça do Rossio é o coração da cidade (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Castelo de São Jorge fica no topo da colina do bairro da Alfama (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Castelo de São Jorge fica no topo da colina do bairro da Alfama (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Mosteiro dos Jerónimos impressiona pela arquitetura em estilo manuelino (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Mosteiro dos Jerónimos impressiona pela arquitetura em estilo manuelino (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Padrão dos Descobrimentos fica à beira do Rio Tejo (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Padrão dos Descobrimentos fica à beira do Rio Tejo (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Confeitaria está localizada no bairro de Belém (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Confeitaria está localizada no bairro de Belém (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Parque das Nações é a face mais moderna de Lisboa (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

Parque das Nações é a face mais moderna de Lisboa (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

LX Factory é um dos locais da cidade que foi modernizado (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

LX Factory é um dos locais da cidade que foi modernizado (Foto: Max Cirne - DP) (Foto: Divulgação - DP)

À beira do rio Tejo, Lisboa brilha à luz de seus azulejos coloridos, telhados vermelhos e ruelas que sobem e descem colinas. Tal cenário soma-se às cantorias sofridas do fado, aos pastéis de bacalhau recheados com queijo da Serra da Estrela, aos bondes amarelos que percorrem o Centro Histórico e ao cheiro delicioso de uma fornada de pastéis de nata que recém saiu do forno. São essas características - e muitas outras - que fazem da capital de Portugal um dos destinos mais procurados por visitantes nos últimos anos.

Mais do que nunca, as belezas do país estão sendo valorizas pelo turismo mundial. A transformação ocorre desde 2009, com gradativo crescimento do número de estrangeiros. Nesta equação, Lisboa apresenta-se como o cartão de visitas de Portugal. Foi dela o título de "Melhor Cidade do Mundo" no World Travel Awards em 2017 e 2018.

Se por um lado, o boom turístico beneficia a economia, por outro, gera alguns problemas, como o aumento dos preços para a população, inclusive nos aluguéis, o que fez famílias portuguesas serem despejadas e empurradas para periferia. Mesmo com as mudanças, Lisboa não perdeu seu charme. Uma série de monumentos históricos segue disponível para visitação, assim como atrações em regiões mais modernas.

BAIXA E BAIRRO ALTO
O primeiro passeio, sem dúvidas, se inicia na Praça do Comércio, uma das maiores da Europa, cercada por prédios suntuosos e com a estátua do rei José I no centro. No lado norte, o Arco da Rua Augusta serve como portão de entrada para um agitado calçadão que reúne muitas lojas, restaurantes e pedestres. 

Após oito quadras, a rua Augusta desemboca na Praça do Rossio, considerado o coração da cidade. Perto dali, vislumbra-se a impressionante fachada da Estação Ferroviária do Rossio, construída em estilo manuelino, tido como o "gótico português". 

Logo à frente, a Praça dos Restaurantes dá inicio à Avenida da Liberdade, um passeio público arborizado que concentra as principais lojas de grife da capital. Caminhar pela longa extensão da avenida leva até o parque Dom Eduardo VII, com seus jardins geométricos cuidadosamente podados. 

Do outro lado da Praça do Rossio, à direita, localiza-se a Praça da Figueira, ponto de partida para os clássicos bondinhos amarelos da linha 28. Estando na região central, torna-se interessante provar a famosa ginja, um licor de cereja amarga que pode ser servido em um copo de chocolate. Encontra-se no estabelecimento A Ginjinha, próximo à Praça do Rossio, ou na banca Ginjinha do Carmo, na Praça do Comércio. 

Ainda junto à rua Augusta, o Elevador de Santa Justa liga a região da Baixa ao Bairro Alto através de uma estrutura neogótica que sobe 45 metros. A fila costuma ser bastante demorada, mas justifica a espera. No topo, um mirante oferece uma das vistas mais deslumbrantes da cidade. O elevador leva os visitantes até o Largo do Carmo, onde encontra-se um convento cujas ruínas servem de símbolo para o terremoto que atingiu todo o núcleo central de Lisboa em 1755. Perto dali, vale passar pela Casa dos Ovos Moles e experimentar combinações açucaradas tipicamente portuguesas. 

O Bairro Alto dispõe de alguns interessantes pontos, como a Livraria Bertrand, considerada a mais antiga livraria do mundo em funcionamento; o Café A Brasileira, famoso por ser frequentado por Fernando Pessoa e demais intelectuais lisboetas; e a praça Luís de Camões, com cafés e bares nas redondezas.

ALFAMA
O bairro mais antigo de Lisboa oferece um labirinto de ruelas íngremes sobre uma colina. É possível chegar na Alfama direto da Baixa através de um elevador público que fica a duas quadras da rua Augusta. O lugar é repleto de restaurantes, casas de fado e mirantes. Entre as igrejas, destaca-se a Sé, catedral da cidade. No cume da colina está o imponente Castelo de São Jorge, fundado pelos mouros no século 10, conquistado em 1147 pelos portugueses e transformado em residência real. O turista pode desfrutar de caminhadas pelas muralhas e vistas do ponto mais alto da cidade.

BELÉM
Afastado do centro, Belém é um dos distritos mais visitados de Lisboa. São vários os motivos, a começar pelo Mosteiro dos Jerónimos, prédio que começou a ser construído em 1501, aproveitando a riqueza da Era dos Descobrimentos. Até então, existia uma igreja no local, procurada pelos navegantes antes de embarcar nas viagens para "outros mundos". 

O mosteiro, declarado Patrimônio Mundial da Unesco, anuncia em sua deslumbrante fachada o porquê do prédio ser considerado o ápice do estilo manuelino. O ingresso dá direito a visitar o pátio interno (principal atração), refeitório, exposição e loja. Ao lado, a Paróquia de Santa Maria de Belém possui entrada franca e abriga os túmulos de dois heróis nacionais: Vasco da Gama e Luís de Camões. 

Saindo do mosteiro e atravessando o Jardim da Praça do Império, depara-se com o Padrão dos Descobrimentos, um monumento de 52 metros de altura na forma de uma caravela que serve de homenagem ao período das grandes navegações, incluindo estátuas de figuras como Pedro Álvares Cabral, Vasco da Gama e Fernão de Magalhães. O pôr do sol nessa região é especial. 

Do Padrão, recomenda-se caminhar pela beira do Tejo até a charmosa Torre de Belém, de onde partiam os navios portugueses. A mesma também servia de proteção para a entrada de novas embarcações. Circundada por águas, a fortaleza encontrava-se bem mais afastada da costa do que atualmente. 

A uma quadra do mosteiro está localizada a confeitaria Pastéis de Belém, a mais famosa do país. O doce consiste numa tortinha de nata, que é assada para deixar a massa folhada crocante e depois ser servida quente com toque de canela por cima. Os originais são vendidos neste endereço. Em qualquer outro lugar, as unidades são chamadas de pastéis de nata. A sugestão é entrar para conseguir uma mesa. A fila na rua destina-se ao serviço de take away.

PARQUE DAS NAÇÕES
A face moderna da capital fica na região leste do mapa. Com uma arquitetura ousada, o Parque das Nações foi construído para a Expo 1998 e atualmente constitui o centro financeiro de Lisboa. Abriga várias atrações, como a Torre Vasco da gama, edifício mais alto da cidade; a Gare do Oriente, estação projetada por Santiago Calatrava, arquiteto responsável pelo Museu do Amanhã (RJ); o Oceanário de Lisboa, com mais de oito mil animais; o Centro Vasco da Gama, um amplo shopping com teto de vidro; e o Teleférico de Lisboa, que fica a 30 metros de altura e oferece vistas do Tejo e da própria região.

EXTRAS
Duas novidades imperdíveis de Lisboa são o Time Out Market e a LX Factory. O primeiro está localizado no Mercado da Ribeira, um espaço que foi totalmente remodelado e passou a abrigar mais de 30 restaurantes pertencentes a chefs renomados do país. O atendimento é semelhante ao das praças de alimentação de shoppings, com preços reduzidos e mesas compartilhadas. A segunda dica é um complexo industrial que foi transformado em um centro cultural, abrigando diversas lojas de arte e restaurantes descolados.

Comentários Comente

REDES SOCIAIS

Diário Popular - Todos os direitos reservados