Sônia sempre que pode prepara quitutes especiais para a família e também para os amigos  (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Sônia sempre que pode prepara quitutes especiais para a família e também para os amigos (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Culinarista e artesã, June  relembra os natais de sua infância com receitas para a ceia natalina  (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Culinarista e artesã, June relembra os natais de sua infância com receitas para a ceia natalina (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

O segredo de alguns pratos está em substituir  ingredientes, como o arroz branco pelo integral (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

O segredo de alguns pratos está em substituir ingredientes, como o arroz branco pelo integral (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

 (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

(Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Gatronomia

O sabor do passado

Sônia e June levam a cozinha caseira da família para os livros e garantem um natal cheio de sabores

22 de Dezembro de 2013 - 07h00 0 comentário(s) Corrigir A + A -
Sônia sempre que pode prepara quitutes especiais para a família e também para os amigos  (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Sônia sempre que pode prepara quitutes especiais para a família e também para os amigos (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Culinarista e artesã, June  relembra os natais de sua infância com receitas para a ceia natalina  (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Culinarista e artesã, June relembra os natais de sua infância com receitas para a ceia natalina (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

O segredo de alguns pratos está em substituir  ingredientes, como o arroz branco pelo integral (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

O segredo de alguns pratos está em substituir ingredientes, como o arroz branco pelo integral (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

 (Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

(Foto: Moizés Vasconcellos - DP)

Abrir a porta de casa e sentir pelo corredor o cheirinho de bolinhos de chuva que a vovó fazia nas tardes chuvosas de inverno ou do bolo, cuja receita guardava a sete chaves e só passava para os filhos e netos, são lembranças que estão sempre presentes. Estes momentos estão eternizados na memória de milhares de pessoas e surgem com muita nostalgia quando visitamos uma amiga e ela faz uma receita especial de família. Para que estes instantes não se percam no tempo e as receitas não fiquem esquecidas no fundo de uma gaveta, a educadora, artesã e culinarista Junelise Martino e a engenheira civil e engenheira de produção e sistemas Sônia Maria Ferreira Loguércio, escreveram livros com as receitas de família.

O sucesso foi inevitável. Quem não quer aprender a torta surpresa ou a torta de maçã, receitas de vovós que passam de geração em geração? Como disse Sônia Loguércio na introdução de A guardiã dos sabores, foi guardando na memória as coisas que viu a avó, a mãe e as tias prepararem na cozinha que se transformou na guardiã dos sabores.

Ainda acrescenta: “Havia a guardiã do templo. Eu me transformei na dos sabores. E, de certa forma, na guardiã das lembranças familiares, pois uma comida sempre evoca uma data, um momento, uma época, uma situação e, quando a colocamos na boca, revivemos aquele instante passado num déjà vu. Porque as nossas papilas gustativas são como a porta de entrada de um caminho a ser percorrido através dos canais neurais até um espaço em nosso cérebro onde abrigamos nossas doces recordações, que, em verdade, são o alicerce sobre o qual construímos a nossa história”.

Livro artesanal
A culinarista June Martino conta que o livro Memória culinária: coisa de vó começou a ser escrito mentalmente quando ainda estava na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, em uma disciplina que unia culinária e literatura. "Após várias pesquisas encontramos na literatura e no cinema obras que remetem à culinária, como nas obras dos escritores Jorge Amado e Carlos Drumond de Andrade e em filmes como Tempero da vida. A partir deste instante começo a refletir sobre as receitas de minha família e penso: por que não homenagear a culinária de minhas avós?", conta June.

Uma das recordações da educadora são as festas de confraternização como aniversários, Dia das Mães e, é claro, as festas de final de ano em que a família está toda reunida e o cheiro que vem da cozinha é muito especial.

Outra fator que foi determinante para June elaborar o livro são as páginas arrancadas de cadernos já amareladas pelo tempo que encontrou entre velhos livros. Em cada uma tinham receitas escritas a mão pelas avós Juraci e Elisa. Este material não poderia se perder com o tempo. A solução era escrever um livro.

Perfume e ervas
O diferencial no livro são as páginas aromáticas. Entre uma receita e outra é possível sentir o perfume das ervas utilizadas nos pratos da família e que dão um toque especial às receitas. O leitor irá conhecer um pouco mais sobre cada uma destas ervas e saber como devem ser utilizadas na cozinha. “Como o livro foi todo artesanal, incluí estas páginas diferenciadas. Selecionei e coloquei as ervas em pequenos espaços costurados a mão. O aroma certamente irá envolver o leitor e despertar a vontade de experimentar novos sabores”, conta June.

Foram três meses de muito trabalho até a conclusão desta obra que reúne receitas de doces e salgados de uma família mineira. Para o leitor June selecionou e preparou duas receitas para a ceia de Natal que são fáceis de fazer e com certeza irão agradar toda a família. Confira a receita ao lado e bom apetite!

A guardiã
A história de Sônia Loguércio é um pouco parecida com a de June, porém, na profissão as duas são um pouco diferentes. Sônia estudou no Colégio São José, cursou Engenharia Civil na Universidade Católica de Pelotas e fez especialização em Engenharia de Produção e Sistemas na Universidade Federal de Santa Catarina.

As primeiras aulas de culinária tiveram como professora a mãe Ziloah Silveira Ferreira e a receita a ser preparada foi o bolo pobre. “Aprendi a cozinhar em Madrid, no ano de 1988, quando estudei na Alambique Escola de Gastronomia”, destaca Sônia. Nasceu então uma nova paixão em sua vida: a culinária.

Ao perceber que sua mãe e as tias estavam envelhecendo e ninguém sabia preparar as receitas da família, surgiu à ideia de eternizar em um livro os quitutes com A guardiã dos sabores. “Foi aí que entendi a força que os sabores têm de nos remeter aos alegres momentos da nossa infância, que são o alicerce da nossa história. E, quando sentamos ao redor de uma mesa para compartilhar algum daqueles pratos, estamos novamente unidos, mesmo com aqueles que estão distantes e até mesmo com quem já se foi”, conta a escritora.

O segundo livro Afetos & Sabores surgiu quando Sônia participou de um reencontro com as ex-colegas do São José e percebeu o quanto algumas amizades haviam sido importantes ao longo de sua vida. Neste livro, além das crônicas, ela reuniu receitas de amigas, além das da família.

Lembranças
Quem não tem na memória e até se lembra do paladar daquele doce especial que foi feito pela tia ou madrinha, sem falar dos quitutes dos almoços nos finais de semana na casa das avós? Para Sônia não é diferente ela não esquece o pudim de coco e queijo da avó Florinda. “Acho que não houve aniversário ou Natal sem que a vó preparasse o pudim num tabuleiro e, depois, servisse cortado em quadradinhos”, lembra.

Hoje, após descobrir a paixão pela culinária, a engenheira conta que quase todos os dias é responsável pelos cardápios de sua casa. “Sempre há alguma receita que quero experimentar. Ontem mesmo, preparei uns pastéis de Águeda com uma receita que me passaram de uma confraria da qual faço parte lá em Portugal, a Sabores do Batoréu”, ressalta Sônia. Ela também costuma receber muitos amigos para jantar e sempre procura preparar algo novo.

Os Natais de Sônia sempre foram em família. Em suas recordações lembra que todos se uniam em torno dos avós. “Hoje cada um mora em uma cidade e fica mais difícil. Como meu pai é portador da doença de Parkinson nossos natais têm sido ao seu lado, com minha mãe e meu irmão, já que meu sobrinho mora nos Estados Unidos. De qualquer maneira, é muito bom podermos estar juntos nesse dia, sentarmos ao redor da mesa e celebrar a vida”, diz com emoção.

Sônia selecionou uma receita especial é o Bolo Natal com maçã verde, uma receita que criou para presentear os amigos. Ela costuma dividir a receita em duas fôrmas menores, enfeitar, colocar em um saco de celofane transparente e dar um lindo laço com uma fita dourada, uma tradição que todos esperam receber. Fica a dica de um presente muito especial.

 

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados