Presente!

Campanha antiassédio inspirada em Marielle Franco

Espelhada em proposta da vereadora Marielle Franco, morta em março no Rio, proposta foi aprovada no dia em que a morte da parlamentar completa 90 dias

12 de Junho de 2018 - 19h28 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Espelhada em uma proposta da vereadora Marielle Franco (PSOL), morta em março, no Rio de Janeiro, um decreto legislativo aprovado pela Câmara de Pelotas pretende criar uma campanha permanente de combate à violência contra mulheres.

Proposto pela vereadora Fernanda Miranda (PSOL) e chamado de Lei Antiassédio, o projeto foi aprovado nesta terça-feira (12), quando completaram-se 90 dias do assassinato da parlamentar carioca. O objetivo é que o Poder Legislativo promova e mantenha ações de educação e orientação para evitar a ocorrência de crimes como assédio e violência sexual.

Segundo Fernanda, a ideia de discutir o tema em Pelotas começou a ser construída no ano passado e baseou-se em lei semelhante aprovada na Câmara do Rio após a morte de Marielle. "Apresentamos no Conselho da Mulher, no Grupo Autônomo de Mulheres (Gamp) e elaboramos coletivamente. Até hoje muitos homens se sentem donos das mulheres e à vontade para assediar, soltar uma piadinha. A cada vez que uma mulher é assediada e violentada é um pouco da sua vida que vai embora. E algumas morrem, de fato", disse.

O projeto prevê campanhas produzidas pela Câmara, voltadas à divulgação de canais de denúncia de violência, produção de materiais informativos e ações de conscientização.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados