Saúde

Muito abaixo da meta

Dos grupos prioritários, apenas indígenas atingiram o índice de imunização contra a gripe; o esperado é de no mínimo 90%

11 de Junho de 2018 - 19h20 Corrigir A + A -
Grupos de acima dos 50 anos de idade e abaixo dos 10 agora também são considerados prioritários (Foto: Paulo Rossi - DP)

Grupos de acima dos 50 anos de idade e abaixo dos 10 agora também são considerados prioritários (Foto: Paulo Rossi - DP)

A população tem até a próxima sexta-feira (15) para se vacinar contra a gripe. Devido à baixa adesão, o prazo inicial que se encerraria em 30 de maio foi expandido. Na última semana, novas faixas etárias foram incluídas para vacinação, com crianças de até dez anos e adultos acima de 50 podendo receber a imunização. O Rio Grande do Sul segue abaixo da meta em quase todos os grupos prioritários, enquanto Pelotas está abaixo até mesmo da média estadual.

Segundo a coordenadora da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Pelotas, Ana Alice Maciel, estes novos grupos foram inclusos em função da percepção da Secretaria Estadual de Saúde quanto ao aumento de casos de gripe nessas faixas etárias. Com isso, o Centro de Especialidades do município, um dos pontos de vacinação, além das UBSs, apresentou fila na tarde desta segunda-feira.

A família Tresoldi aproveitou e a mãe, Rosângela, 50, e o filho, Otávio, de nove anos, inclusos nos novos grupos, buscaram a vacinação. No ano passado, eles esperaram as sobras de doses, mas não conseguiram, ficando sem a proteção. Dessa vez, aproveitaram a oportunidade e já no primeiro dia imunizaram-se. O vigilante João Eduardo Borba, 53, também aproveitou o fato de ser agora incluso nas faixas prioritárias. Por trabalhar no turno da noite, também achou importante proteger-se.

Muito abaixo da meta
A coordenadora da Vigilância em Saúde diz que não é possível determinar quais os motivos para a meta estar tão distante de ser alcançada, embora mantenha esperança de atingir o mínimo de 90%. Nos últimos anos, alguns grupos prioritários já ficaram abaixo. Neste ano, a chegada tardia do frio pode ser um dos indicativos, segundo ela.

Único grupo a não só atingir como também superar as expectativas tanto em índices estaduais quanto em Pelotas, os indígenas possuem calendários próprios de vacinação e frequente acompanhamento de órgãos de saúde. Além disso, moradores de outras regiões acabaram buscando a imunização em Pelotas, segundo Ana Alice. Por isso, foram vacinados 69 pessoas até aqui, quando a meta era de 43.

Até a próxima sexta, a SMS segue elaborando maneiras de fazer o público perceber a importância da imunização. Novas campanhas deverão ser feitas. Ana Alice ainda não sabe precisar se poderá haver nova prorrogação, caso a meta não seja alcançada. Além disso, liberações de eventuais sobras de doses não podem ser garantidas. Ela explica que um comitê define qual será o destino das vacinas, por isso é importante os inclusos nos grupos prioritários aproveitarem a chance de receber a vacina ainda durante a campanha.

tabela (3)

Confira os grupos prioritários
- Acima dos 50 anos
- Crianças de 6 meses a 10 anos incompletos (9 anos, 11 meses e 29 dias)
- Gestantes - Puérperas (até 45 dias após o parto)
- Trabalhadores da saúde
- Professores de escolas públicas e privadas
- População indígena
- Portadores de doenças crônicas não transmissíveis (com apresentação da prescrição médica)
- População prisional
- Funcionários do sistema prisional


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados