Lacre

Duas empresas da Região Sul são parcialmente interditadas pela Fepam

Ação encontrou irregularidades em serraria de Piratini e usina de asfalto do Capão do Leão; as atividades foram parcialmente suspensas

13 de Março de 2018 - 21h23 Corrigir A + A -
Interdição parcial da usina de asfalto leonense se deu por lançamento de água contaminada sem tratamento (Foto: Divulgação - DP)

Interdição parcial da usina de asfalto leonense se deu por lançamento de água contaminada sem tratamento (Foto: Divulgação - DP)

Uma fiscalização realizada pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) resultou na interdição parcial de duas empresas da região. Foram suspensas as atividades de uma serraria em Piratini, por vazamento de óleo no solo e por abastecimento de veículos em local não autorizado, e de uma usina de asfalto no Capão do Leão, esta por lançamento de água contaminada sem tratamento. São elas, respectivamente, a V J Rauber & Cia Ltda, e a SBS Engenharia e Construções Ltda.

A ação teve início no último dia 27 e inspecionou 43 empreendimentos de 11 municípios - Arroio Grande, Candiota, Capão do Leão, Cristal, Morro Redondo, Pelotas, Pinheiro Machado, Piratini, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar e São José do Norte. Foram mobilizados para o trabalho 17 analistas ambientais dos setores de fiscalização, atividades industriais e agrossilvipastoris e do Banco Ambiental Unificado de Pelotas, além do efetivo do Comando Ambiental. Todos haviam recebido renovação automática da licença de operação ou foram alvo de denúncia.

O chefe da Divisão de Fiscalização da Fepam, Juarez Loff, diz que não havia condições para a continuidade das operações nas duas empresas. Ao Diário Popular, a Fepam afirmou que a interdição parcial se deu pelo iminente "risco de contaminação do solo e da água".

As empresas já foram notificadas e autuadas e terão que provar estarem readequadas para que as atividades retornem. Para tal, é obrigatório um relatório técnico provando que os problemas foram sanados. Após o envio dos documentos, uma equipe da Fepam fará nova averiguação. Não há um prazo estipulado para tal e as empresas seguem em funcionamento, estando paralisados apenas os setores onde os imbróglios foram detectados.

Outros casos
Além dos dois empreendimentos com interdição parcial, a ação também realizou autuações por despejo de efluente oleoso, supressão irregular de vegetação nativa (desmatamento), disposição irregular de resíduos sólidos, armazenagem irregular de resíduos sólidos perigosos, danos em área de preservação permanente, operação de atividade sem licenciamento, descumprimento de exigências ambientais, entre outras. A Fepam seguirá com ações semelhantes nas outras regiões do Rio Grande do Sul.

O que dizem as empresas
A SBS enviou uma nota ao Diário Popular, em que destaca que a irregularidade encontrada é pontual e motivada "principalmente pelas condições climáticas do dia e que já estão sendo tomadas as medidas cabíveis e necessárias para regularizar a questão".

Leonardo Rauber, da V J Rauber, afirmou que a melhoria exigida pela Fepam já foi realizada. Ele pretende entrar ainda hoje com protocolo visando à liberação do setor de abastecimento da empresa.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados