Mobilização

Estiagem que afeta a Zona Sul é assunto na Assembleia Legislativa

Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo deve realizar visitas e mobilizar região em busca de recursos em Brasília

13 de Fevereiro de 2018 - 17h29 Corrigir A + A -
Caminhão que possui uma espécie de bolsa d'água na caçamba abastece famílias em Morro Redondo (Foto: Gabriel Huth - DP)

Caminhão que possui uma espécie de bolsa d'água na caçamba abastece famílias em Morro Redondo (Foto: Gabriel Huth - DP)

A estiagem que atinge toda a Zona Sul, além das regiões Centro-Sul e Campanha, é assunto que deve mobilizar a Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul (AL-RS). A ideia é mobilizar os municípios que enfrentam a situação e buscar recursos no Governo do Estado e em Brasília para amenizar os efeitos.

Segundo dados da Defesa Civil, prejuízos podem chegar a R$200 milhões com a seca nas lavouras. Para que os efeitos sejam minimizados, o Estado disponibilizou um caminhão com uma espécie de bolsa de água  para levar água potável a comunidades que estão sem abastecimento. "Alguns municípios já tem o reconhecimento do Estado e da União, alguns somente do Estado", resume Charles, que completa que mais cidades devem entrar na lista.

Uma assembleia entre os prefeitos que compõem a Azonasul está marcada para a próxima segunda-feira, dia 19, para que o tema seja debatido entre os gestores. A reunião será em Rio Grande e deve contar com a presença da Defesa Civil do Estado.

Integrante da coordenação regional da Defesa Civil, o tenente Charles Luis da Rosa Silveira, afirma que alguns municípios estão reunindo os documentos necessários para que os decretos sejam efetivados e reconhecidos pelos governo estadual e federal. Em situação de emergência, por exemplo, o município pode realizar compras e obras sem licitações - o mecanismo busca dar agilidade às demandas locais.

Titular da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da AL-RS, o deputado estadual Zé Nunes (PT), classifica como preocupante a situação agrícola da região. Em recente visita que fez a municípios, o deputado relata que, principalmente as culturas do milho, da soja e do fumo devem ser as mais afetadas com a estiagem.

"O milho pode chegar a perder uma média de 70% da safra. A soja até está verde, mas atingiu a vagem. O leite, que os produtores já enfrentam problemas com a importação e agora com problemas nas pastagens. Isso vai descapitalizar o agricultor", prevê Nunes. O tema deve ser tratado na comissão já na quarta-feira, em Porto Alegre.

A estiagem deve ter um forte reflexo tanto para o setor agrícola como no comércio das cidades da região, que tem na agricultura seu carro-chefe. O deputado estima que alguns municípios tenham na agricultura cerca de 80% das movimentações no comércio. Com problemas na safra, o efeito se multiplica no rendimento e na arrecadação de todos os municípios.

Como a estiagem atinge mais a região sul e parte da campanha, o deputado acredita que o assunto tenha a necessidade de ser pautado na Assembleia para dar visibilidade ao problema e para sensibilizar o governo do Estado e a União.


Municípios em situação de emergência
Amaral Ferrador
Morro Redondo
Cristal
Pedras Altas
Canguçu
Turuçu
Arroio do Padre
Cerrito
Herval

Vistoria da Defesa Civil na quarta-feira
Piratini
Pinheiro Machado

Aguardam levantamento para decretar
Jaguarão
São Lourenço do Sul

Municípios que não se manifestaram
Arroio Grande
Pedro Osório
Dom Feliciano
Santana da Boa Vista
Chuí
Santa Vitória do Palmar
Pelotas
Capão do Leão
Rio Grande
São José do Norte

Fonte: Coordenadoria Regional de Proteção e Defesa Civil do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados