Escalação

Mistério para a estreia

Pensando no Juventude, Clemer esconde o jogo e comanda treino com portões fechados no Bento Freitas

13 de Janeiro de 2018 - 10h39 Corrigir A + A -
Aposta do treinador, Alisson deve começar o ano entre os 11

(Foto: Carlos Insaurriaga)

Aposta do treinador, Alisson deve começar o ano entre os 11 (Foto: Carlos Insaurriaga)

Por: Henrique Risse - esporte@diariopopular.com.br

Gauchão começou. A bola ainda não rolou nos gramados do Rio Grande do Sul, mas uma prática bem comum às vésperas de jogos importantes já foi utilizada: o treino secreto. Já pensando no duelo contra o Juventude, o técnico Clemer mandou fechar os portões do estádio Bento Freitas no treinamento da tarde de sexta-feira(12).

Apesar do mistério, a equipe para o duelo da próxima quarta-feira, às19h30, na Baixada, não deve ter novidade.

Como pouco tempo de preparação até a estreia, a tendência é que nos próximos treinos Clemer opte por dar mais ritmo de jogo e entrosamento ao time que enfrentou o Sindicato dos Atletas Profissionais do Rio Grande do Sul na última terça-feira. Com isso, o provável Xavante para enfrentar o Ju tem: Marcelo Pitol; Eder Sciola, Leandro Camilo, Héverton e Bruno Collaço; Leandro Leite, Itaqui, Mossoró, Toty e Alisson Farias; Luiz Eduardo.

Ao que tudo indica, um dos pilares desta equipe será o meia-atacante Alisson Farias. Revelado pelo próprio treinador na base do Internacional, o jovem de 21 anos tem a velocidade e a constante troca de posição como trunfo para ser importante para a equipe. “O Clemer dá liberdade de movimentação. Como eu sou um jogador que não gosto de ficar muito parado no canto, gosto de me movimentar, de buscar a bola para ajudar o time. Então ele me dá essa liberdade pra me movimentar e criar dificuldade para o adversário”, explicou.

Mas não é só para atacar que ele está no Brasil. Alisson garante que ajudar na marcação é fundamental para o bom andamento do time. “Eu trabalhei muito tempo com o Clemer e ele sempre trabalhou nessa formação. Estou bastante acostumado já com isso. Acho que quando tem a bola a gente joga, mas sem a bola todos têm que marcar para ajudar. É isso que ele pede”, disse ele, para depois completar: “Acho que vamos conseguir conciliar as duas coisas. Temos jogadores de qualidade, tem jogador que marca bastante no meio-campo, na zaga e na lateral também. E na frente tem jogadores de qualidade, mas a gente marca também porque é importante pro time”.

Motivado
Depois de se destacar no time principal do Internacional, Alisson não conseguiu decolar no profissional. No ano passado teve passagens apagadas tanto pelo Estoril, de Portugal, quanto pelo Criciúma, que disputou a Série B do Campeonato Brasileiro. Mas o meia vê essa oportunidade no Xavante como um divisor de águas em sua carreira. “Venho me preparando bem na pré-temporada. Quero fazer um grande ano, corresponder a toda expectativa que estão colocando em cima de mim. Quero ajudar a equipe a atingir os nossos objetivos”, finalizou Alisson Farias.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados