Moradia

Chamado Parque dos Estados já é realizado no Sítio Floresta em Pelotas

São 560 novos apartamentos a serem entregues pelos residenciais Amazonas e Roraima

07 de Dezembro de 2017 - 11h46 Corrigir A + A -

Por: Maria da Graça Marques
graca@diariopopular.com.br 

Residenciais. O Roraima e o Amazonas estão prontos para entrega neste mês. (Foto: Divulgação)

Residenciais. O Roraima e o Amazonas estão prontos para entrega neste mês. (Foto: Divulgação)

Construtores. Theo Bonow e Rui Lucas detalham o restante do projeto para o local. (Foto: Paulo Rossi)

Construtores. Theo Bonow e Rui Lucas detalham o restante do projeto para o local. (Foto: Paulo Rossi)

Com a entrega de 560 novos apartamentos dos Residenciais Amazonas e Roraima nos próximos dias, o perfil do Sítio Floresta, na zona norte de Pelotas, começa a mudar. Dentro do chamado Parque dos Estados, são unidades para atender à faixa 1 do Programa Minha Casa, Minha Vida, construídas pela Labore Engenharia e pela Serial Engenharia e Estruturas. Cada residencial recebeu investimentos de R$ 17 milhões.

Dentro da visão de oferecer moradias para os trabalhadores daquela área da cidade, economicamente em crescimento, o projeto inteiro pode somar até quatro mil unidades habitacionais para atender a famílias das faixas 1, 1,5 e 2 do Minha Casa, Minha Vida. Outras 600 devem entrar em construção brevemente e para 2018 está previsto o início das obras de um centro comercial, uma área já foi doada para ser ocupada por uma escola municipal e uma praça está incluída no projeto.

A proposta é oferecer qualidade de vida para famílias dentro da faixa 1 do Minha Casa, Minha Vida, diz o construtor Theo Bonow. “O produto é bom”, completa o empresário. A entrega do Amazonas e do Roraima está prevista para o dia 14, dependendo de autorização do Ministério das Cidades, ao qual está vinculado o Minha Casa, Minha Vida.

Os contratos já foram assinados no dia 25 de novembro com as famílias contempladas. A mudança delas deverá ocorrer nos 30 dias seguintes, dentro de programação especílica. Com os síndicos já eleitos para os dois condomínios, será feito o acompanhamento inicial destas familias no local. O Amazonas e o Roraima têm infraestruturas e áreas de lazer completas.

Aprovados através do Banco do Brasil, os dois projetos, executados um em frente ao outro, tiveram atraso na conclusão, em razão de problemas de fluxo de pagamentos às construtoras, esclarecem Bonow e Rui Lucas. Obras previstas para execução em 18 meses foram concluídas em 60.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados