Reconhecimento

Série 'Encarcerados' recebe Prêmio Direitos Humanos

Reportagens produzidas pelo Diário Popular concorreram com outros 57 trabalhos nacionais e foram destacadas em duas categorias

06 de Dezembro de 2017 - 18h48 Corrigir A + A -

Por: Vinicius Peraça
vinicius.peraca@diariopopular.com.br 

Fotos do repórter fotográfico Carlos Queiroz ficaram em primeiro lugar no Prêmio Direitos Humanos (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Fotos do repórter fotográfico Carlos Queiroz ficaram em primeiro lugar no Prêmio Direitos Humanos (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A série especial "Encarcerados", que traçou uma radiografia completa da realidade dos presídios da Zona Sul do Estado foi escolhida como destaque em duas categorias do 34º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo, promovido pela seccional do Rio Grande do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RS). Os seis capítulos publicados entre os dias 21 e 27 de outubro no jornal e no site do Diário Popular receberam menção honrosa na categoria Reportagem e primeiro lugar em Fotografia. Este ano o concurso teve como tema "Direitos humanos e o combate a toda e qualquer forma de violência".

>>> Confira a reportagem sobre o Presídio Regional de Pelotas

A equipe de reportagem do jornal visitou as unidades prisionais de Pelotas, Santa Vitória do Palmar, Rio Grande, Jaguarão, Camaquã e Canguçu para mostrar a situação dos presídios, como vivem 2,8 mil apenados confinados em locais superlotados e as dificuldades enfrentadas pelas equipes que trabalham nestas estruturas. Trabalho semelhante de raio-x dos presídios da Zona Sul já havia sido realizado em 2007 e 2012.

Durante três semanas, as jornalistas Michele Ferreira e Giulliane Viêgas, o repórter fotográfico Carlos Queiroz e o jornalista e editor do site Leandro Lopes viajaram pela região e produziram o material que teve a coordenação gráfica de Paula Moreira. Antes disso, porém, foi preciso obter autorização do Poder Judiciário e do Ministério Público. "Essa foi a parte mais difícil. Para acessar os presídios tivemos que negociar bastante, pois precisávamos entrar para ter contato com tudo que acontece ali, com os apenados, as facções", lembra Giulliane.

>>> Confira a reportagem sobre a Penitenciária Estadual de Rio Grande

Além de retratar em detalhes o cenário atual do sistema carcerário, a série que concorreu com outros 57 trabalhos de todo o país também carrega um contexto amplo sobre a evolução dos problemas. "Dez anos depois da primeira série, também premiada, vimos que a reincidência aumentou, projetos de ensino foram suspensos e o número de agentes diminuiu. Mas, principalmente, o quanto o crime organizado se estabeleceu na região", avalia Michele.

>>> Confira a reportagem sobre o Presídio Estadual de Jaguarão

Além da riqueza de detalhes apresentada nos textos e fotos, desta vez as reportagens também contaram com vídeos publicados no site e redes sociais do jornal. Para o editor de web Leandro Lopes, o material foi capaz de levar ao público uma forma distinta de compreensão da realidade prisional. "Assim como o texto e as fotos causam um tipo de emoção, o vídeo tem sua importância na tarefa de transportar as pessoas até aquele cenário."

>>> Confira a reportagem sobre o Presídio Estadual de Santa Vitória do Palmar

Primeiro lugar em fotografia
Coube ao repórter fotográfico Carlos Queiroz o reconhecimento máximo dentre os 35 trabalhos inscritos na categoria. Responsável pela produção das imagens da série "Encarcerados" desde a sua primeira edição, em 2007, conta que o primeiro lugar no Prêmio Direitos Humanos era perseguida há algum tempo.

Segundo ele, apesar de concorrer com grandes veículos das capitais, o conteúdo produzido pelo Diário Popular cumpriu uma importante missão. "Tivemos tempo para trabalhar e produzir um material de fôlego, relevante. Fico emocionado por receber este prêmio na categoria que leva o nome de um grande amigo e fotógrafo que já nos deixou, o Paulo Dias"

>>> Confira a reportagem sobre o Presídio Estadual de Camaquã

Para o editor-chefe Pablo Rodrigues, tão importante quanto a premiação recebida pelo jornal é a reafirmação de que o trabalho em reportagem vale a pena. "É cada vez mais difícil um veículo do interior conseguir produzir materiais como este e se destacar. Tivemos toda a estrutura necessária por parte do jornal e o talento da equipe para fazer um jornalismo forte e independente. Cumprimos nosso papel social ao mostrarmos que persiste um enorme descaso com os direitos humanos", avalia.

>>> Confira a reportagem sobre o Presídio Estadual de Canguçu

A cerimônia de entrega do 34º Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo será segunda-feira (11), às 20h, no auditório da OAB/RS, em Porto Alegre.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados