Informação

Vigilância Ambiental informa sobre a Covid-19 em animais

Centro de Controle de Zoonoses responde dúvidas sobre o novo coronavírus nos pets

10 de Julho de 2020 - 09h52 Corrigir A + A -
Ainda não há evidências científicas de que os animais possam transmitir o novo coronavírus para os humanos (Foto: Leandro Lopes - DP)

Ainda não há evidências científicas de que os animais possam transmitir o novo coronavírus para os humanos (Foto: Leandro Lopes - DP)

O Centro de Controle de Zoonoses da Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde (CCZ/Vigiam/SMS) tem recebido questionamentos a respeito da Covid-19 em animais de estimação. Para sanar dúvidas, inclusive sobre o abandono de animais, o setor elaborou material informativo - guia rápido de perguntas e respostas - para repassar à população, ao mesmo tempo que ressalta que informações sobre a doença estão em constante atualização e, por isso, recomenda consulta frequente, pelos sites da Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde (MS), Organização Pan-americana de Saúde (Opas), ou Conselho Federal de Medicina Veterinária.

A chefe da Vigilância Ambiental da SMS, Isabel Madrid, salienta que o CCZ orienta sobre a posse responsável de animais e não acolhe os abandonados, a menos que ofereçam riscos à saúde pública (bravios ou portadores de doenças zoonóticas). Da mesma forma, o Canil Municipal, como parte do Centro, não atua como abrigo de animais, sendo um local de passagem, onde os cães são castrados, reabilitados, ressocializados e disponibilizados para adoção ou devolvidos ao ponto de recolhimento, de acordo com cada caso. O tutor é o único responsável pelos seus animais de estimação, estando ou não em momento de pandemia. 

O guia rápido traz o seguinte conteúdo:

Os animais podem se infectar pelo SARS-CoV-2 (vírus da Covid-19)?

O CCZ informa que existem relatos de animais infectados pelo SARS-Cov-2 em diversos países. Porém, o conhecimento acerca da transmissão desse vírus para os animais ainda é limitado. Suspeita-se que os animais possam ser infectados pelo contato próximo com humanos que tenham a Covid-19, da mesma forma que ocorre o contágio de pessoa para pessoa, mas isso não é comum.

Os animais podem transmitir o coronavírus para humanos?

Ainda não há evidências científicas de que os animais possam transmitir o novo coronavírus para os humanos. A principal forma de transmissão do vírus ocorre de pessoa para pessoa, através das secreções respiratórias e, secundariamente, pelo contato com superfícies contaminadas. A transmissão de um animal para outro ainda não foi comprovada cientificamente, tendo ocorrido somente de forma experimental.

Se você for diagnosticado com a Covid-19, o que deve fazer com seu animal de estimação?

É recomendável que quem for diagnosticado com a Covid-19 limite o contato com seus pets e com outros animais, da mesma forma que deve fazer com as pessoas. Se for possível, peça a alguém da casa para cuidar dos seus animais de estimação e, caso isso não seja possível, evite beijar e compartilhar alimentos, não permita a lambedura, utilize máscara ao se aproximar deles e lave bem as mãos com água e sabão antes e depois de ter mantido contato.

Nunca abandone seu animal de estimação! Além de ser um crime, é um ato cruel e desnecessário, uma vez que seu pet não oferece risco de transmitir a Covid-19 e, tomando os devidos cuidados, você também não oferecerá risco a ele. 

Se você presenciar algum caso de abandono ou de maus-tratos a animais, deve denunciar à Secretaria de Qualidade Ambiental (SQA), pelos telefones (53) 3227.5442 ou 3227.1642, e/ou acionar a Patram, pelos telefones (53) 3225.3722 ou 3309.5380.

Que cuidados você deve ter com seu animal de estimação durante a pandemia?

* Não permita que seu cão ou gato tenha acesso livre à rua;

* Neste momento, os passeios devem ser realizados somente para atender às necessidades fisiológicas de seu pet, devendo ser de curta duração, em locais abertos, com pouco movimento de pessoas e de outros animais;

* Quando passear, vá sozinho, leve seu cão ou gato na guia e o mantenha distante de outros animais e pessoas (2 metros);

* Animais não devem usar máscaras ou qualquer outro tipo de equipamento de proteção facial, mas você deve;

* Lave bem as mãos com água e sabão antes e depois do contato com seu animal de estimação;

* Ao retornar do passeio, lave as patas do seu pet com água e sabão e seque cuidadosamente. Lembre-se de não utilizar produtos que possam ser irritantes, como cloro, álcool ou desinfetantes domésticos;

* Lembre-se de recolher as fezes de seu pet. A Covid-19 não é, comprovadamente, transmitida através das fezes. Porém, existe uma série de outras doenças que podem ser;

* Brinque mais com seu cão ou gato. Substitua os passeios longos e o acesso à rua por momentos de diversão entre vocês em casa mesmo. Será ótimo para ele e para você também!

Existe vacina para cães contra o coronavírus? Você pode tomá-la também?

Sim, é verdade que existe uma vacina para coronavírus para cães, porém essa vacina não protege contra o Sars-CoV-2, que é o vírus causador da Covid-19. Essa vacina serve para proteger seu cão de um coronavírus gastrointestinal, totalmente diferente do vírus causador da pandemia.

De forma alguma uma pessoa deve receber a aplicação de uma vacina veterinária, seja ela qual for. Os efeitos adversos podem ser graves e a eficácia é nula.

Se você ficou desempregado e não tem como manter seus animais de estimação, o que você pode fazer?

Lembre-se de que é o responsável pelo seu animal de estimação durante toda a sua vida. Cabe a você atender a todas as necessidades dele, como alimentação, abrigo do frio ou calor, cuidados com a saúde (física e mental), entre outras. Dessa forma, caso não consiga suprir as necessidades de seus pets, tente pedir ajuda. Faça campanhas de arrecadação de ração, cobertas, medicamentos. As pessoas têm se solidarizado muito com os problemas alheios nessa pandemia. Se ainda assim, não conseguir manter seus animais e não tiver como ficar com eles, não os abandone! Tente doá-los para pessoas que tenham condições de dar todo o suporte financeiro para eles, além de muito amor e carinho.

E os cães de rua? Devo evitá-los?

As medidas preventivas servem tanto para animais domiciliados como para os animais de rua (errantes), incluindo o distanciamento, evitar beijá-los e impedir a lambedura. Quando houver aproximação, deve-se utilizar máscara e fazer a higiene das mãos com água e sabão antes e após o contato. Nunca maltrate um animal de rua. Eles só estão em busca de alimento e carinho. Portanto, se não puder oferecer nenhum dos dois, não faça nada.

Jamais abandone seu animal de estimação. Em tempos de pandemia e de isolamento social, a companhia de seu pet fará muito bem à sua saúde física e mental. Não esqueça que as melhores formas de se proteger são ficar em casa, evitar aglomerações, usar máscaras e lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou utilizar álcool em gel.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados