Luto

Victor Russomano Jr. morre aos 61 anos

O pelotense, filho do ex-ministro Mozart Victor Russomano, lutava contra um câncer e morreu na madrugada desta segunda-feira

20 de Janeiro de 2020 - 11h23 Corrigir A + A -
Victor era filho do ex-ministro Mozart Victor Russomano  e de Gilda Maciel Corrêa Meyer Russomano. (Foto: Divulgação - DP)

Victor era filho do ex-ministro Mozart Victor Russomano e de Gilda Maciel Corrêa Meyer Russomano. (Foto: Divulgação - DP)

Morreu durante a madrugada desta segunda-feira (20), em Brasília, o advogado e professor Victor Russomano Júnior, aos 61 anos, que lutava contra um câncer. Professor da Universidade de Brasília (UnB) desde 1981, Russomano Júnior tinha destacada atuação em direito trabalhista, sendo autor de reconhecidos livros na área.

"Era um excelente pai, excelente irmão e excelente profissional", afirma a irmã, Mônica Russomano. Ela lembra que o irmão estudou no Colégio Gonzaga durante o antigo primário e ginásio, antes de seguir para Brasília. Apesar da distância, Mônica lembra que Russomano Júnior costumava visitar a família em solo gaúcho. Segundo ela, o advogado descobriu o câncer em maio do ano passado, mas comunicou a família somente em novembro. "Talvez não quisesse nos preocupar", disse Mônica. Na capital do país, Russomano Júnior foi orador da turma de Formandos pela faculdade de Direito da UnB. Em 1981, ingressou como professor da instituição, onde se aposentou recentemente. Foi autor de obras de destaque na área como Jurisprudência Trabalhista - Uniformizada e Anotada, Recursos Trabalhistas de Natureza Extraordinária e Política Trabalhista brasileira. O advogado também integrou a comissão do exame da Ordem dos Advogados do Brasil do Distrito Federal (OAB/DF) e teve reconhecida atuação em causas na Justiça do Trabalho referentes ao direito trabalhista. Também ministrava palestras sobre o assunto à convite de instituições, entidades e universidades.

O pelotense era filho do advogado Mozart Victor Russomano, falecido em 17 de outubro de 2010, que teve destacada função jurídica em âmbito nacional, sendo ministro do Tribunal Superior do Trabalho, com ingresso em 1969, e presidente da mesma instituição, entre o período de 1971 e 1972.

Nascido em 19 de junho de 1958, Victor Russomano Júnior deixa a esposa, a advogada Renata D'Carlos Russomano, o filho e também advogado Mozart Victor Russomano Neto, fruto do primeiro casamento com Sandra Russomano, e as duas netas.

Perda para meio jurídico

Em nota, a direção da OAB/DF manifestou solidariedade e condolências à família. A seccional também lamentou profundamente a morte de Russomano Júnior, que classificou como "um dos mais experientes e brilhantes advogados da Justiça do Trabalho, onde exerceu com maestria a defesa dos interesses de seus clientes". O texto também destacou a precisão das orações proferidas pelo advogado em tribunas e a referência que o profissional representa para os mais jovens. "Sua perda é imensurável para a advocacia", define a nota.

A presidente da subseção de Pelotas da OAB do Rio Grande do Sul, Paula Grill, classificou o falecimento de Russomano como significativo em nível municipal e nacional. "É uma perda muito grande para o meio jurídico", lamentou. Em nota, o presidente do TST, ministro Brito Ferreira, declarou profundo pesar pela morte do advogado, ressaltando o trabalho desenvolvido por ele junto ao tribunal. O velório ocorre hoje, na Capela 1 do cemitério campo da Esperança, em Brasília.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados