Proposta

Via auxiliar próxima à BR-392 será construída para novo acesso ao Porto

Projeto terá investimento de R$ 60 milhões e a ideia é de que seja incluído no orçamento da União

18 de Dezembro de 2014 - 15h28 Corrigir A + A -

Por: Tânia Cabistany
taniac@diariopopular.com.br 

Atualizado às 18h44

O projeto do novo acesso ao Porto de Pelotas, entregue nesta quinta-feira (18) pelo secretário de Infraestrutura e Logística do Rio Grande do Sul, João Victor Domingues, e o diretor executivo da Incorp Consultoria e Assessoria, Fernando Freitas, à prefeita em exercício Paula Mascarenhas, será apresentado segunda-feira, às 10h, em audiência pública na Câmara de Vereadores. O traçado tem dois segmentos, com custo da obra estimado em R$ 60 milhões.

A ideia é de que a proposta seja incluída no orçamento da União por meio de aditivo ao projeto de duplicação da BR-392, pois dessa forma dispensa licitação. No caso de não acontecer assim, há ainda a possibilidade de ser incluída no Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) III, informa o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Fernando Estima. "Vamos fazer essa obra de uma maneira ou de outra. Se der errado, o que eu não acredito, tem espaço fiscal. Nossa dívida termina em 2030 e abre possibilidade de trocar dívida ruim por dívida boa", comenta Domingues.

Segundo o secretário, se fosse licitar levaria muito tempo e já que foi encontrada essa brecha no orçamento do projeto de duplicação da BR-392, a tentativa será feita. "Sem acesso terrestre ao Porto de Pelotas vai atrasar o desenvolvimento da cidade", destaca. O licenciamento ambiental caberá ao município, que vai encaminhar o debate sobre o projeto no momento que tiver a garantia de que foi incluído no orçamento da União, frisa Estima.

O novo acesso é dividido em dois segmentos:

Segmento 1 - Trata-se de elevada, que sai de uma via auxiliar embaixo de uma das pontes da BR-392 em direção à rua Gonçalves Chaves, pega a Conde de Porto Alegre, até o Porto.

Segmento 2 - Inicia na rua Conde de Porto Alegre e pega a Gonçalves Chaves até o Porto. Para esse traçado será necessário remover a pavimentação para implantar nova estrutura, composta por estacas de concreto com pavimento rígido, revestido por asfalto. Passeios serão readequados, construídos com ladrilhos hidráulicos.

Cronograma
- Obra - 12 meses após o início, ainda não definido
- Debates - Iniciam em 2015


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados