Saúde pública

Vacina contra o sarampo seguirá à disposição na rede

Dia D foi realizado no sábado, mas imunização contra a doença integra o Calendário Nacional e as doses devem ser oferecidas sempre

01 de Dezembro de 2019 - 14h36 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Balanço com o número de pessoas que procurou as UBSs começará a ser feito nesta segunda pela prefeitura (Foto: Paulo Rossi - DP)

Balanço com o número de pessoas que procurou as UBSs começará a ser feito nesta segunda pela prefeitura (Foto: Paulo Rossi - DP)

O Dia D de vacinação contra o sarampo foi no sábado, mas permanece o apelo para que a comunidade procure as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e se proteja contra a doença que até o começo de novembro havia atingido 11.896 pessoas no país e provocado 15 mortes. O alvo do Ministério da Saúde é bem definido: devem tomar a vacina os jovens dos 20 aos 29 anos e as crianças dos seis meses de idade a menores de cinco anos. Além de facilitar o acesso, a campanha buscava ampliar a cobertura, já que o surto segue ativo no Brasil. A maioria dos casos, 93,2%, todavia, está concentrada no estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana.

Em Pelotas, a procura pela imunização foi bem variável. Em alguns pontos, o movimento foi baixo. No Centro de Especialidades, por exemplo, até as 11h, no máximo dez pessoas haviam se vacinado. Na loja 18A do Shopping, a cena foi exatamente o oposto: a procura foi alta. Os dados, entretanto, só serão processados pela Secretaria de Saúde a partir desta segunda-feira (2).

Em todo o país, a expectativa do Ministério da Saúde era de vacinar 9,4 milhões de jovens. E é fácil de entender as razões: um terço dos casos registrados está na faixa etária dos 20 aos 29 anos e eles também representam o maior transmissor em potencial da doença - indica boletim epidemiológico divulgado pelo governo federal. Mas é importante ficar atento a uma ressalva: gestantes que pertencem a este público-alvo não devem se vacinar, já que o método de imunização se dá por uma versão atenuada do vírus.

Apelo também permanece para que população faça o cadastro nas UBSs
Além de estar com a carteirinha de vacinação em dia, a Secretaria de Saúde reforça um outro pedido à população. É para que os moradores compareçam em suas UBSs de referência e realizem o cadastro. Com as informações de cada um dos usuários atualizadas, a prefeitura assegura dois pontos importantes: pode planejar ações preventivas e de controle de doenças com base no perfil da comunidade e também irá garantir os repasses de recursos da União.

A partir de janeiro de 2020, o Ministério da Saúde irá alterar a forma de financiamento de custeio da rede de atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS). O cálculo para definir o valor não será mais fixo e realizado com base na população total dos municípios. O governo federal aumentará o montante a ser repassado por pessoa, mas a verba ficará restrita ao número de moradores que tiveram realizado o cadastro. "Então, se a gente não tiver o maior número possível de cadastros, acabaremos tendo um financiamento menor", destaca a secretária Roberta Paganini.

E lembra que o Cartão SUS não substitui a necessidade desta atualização de dados, que irá alimentar o sistema E-SUS e permitir a chegada de recursos para as UBSs de Pelotas, em 2020.

Confira a documentação
- Carteira de identidade
- Cadastro de Pessoa Física (CPF)
- Comprovante de residência


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados