Exemplo

Unidas pelos bebês e pela solidariedade

Há um ano, grupo de voluntárias distribui enxovais para recém-nascidos carentes em Pelotas

08 de Novembro de 2019 - 08h55 Corrigir A + A -

Por: Cíntia Piegas
cintiap@diariopopular.com.br 

JF_6287Sara, com a sacola em mãos, é mãe de Davi, um dos contemplados com as confecções (Foto: Jô Folha)

Quando a vontade de ajudar dispensa burocracia, reuniões, determinação de tarefas, fica difícil acreditar que a ação possa dar certo. Ainda mais quando o projeto solidário é propagado pelo WhatsApp e, apenas um ano depois, a maioria das benfeitoras se encontra pela primeira vez, para colher os frutos de um trabalho quase anônimo. O Unidas pelos Bebês, grupo formado em outubro de 2018, já distribuiu 63 enxovais a gestantes ou recém-nascidos carentes, aquecendo um pouco mais os corações das mães que, às vezes, não têm recursos para montar um kit para a chegada do filho. 

Um desses corações é o de Sara Borges Coppes, de 18 anos. Ela deu à luz Davi, com 3,210 quilos e 49 centímetros. O pequeno recebeu na última semana a visita de parte do grupo, em sua casa, no Balneário dos Prazeres, no Laranjal, ainda na barriga da mãe. "Vai me ajudar muito, pois não tenho condições de comprar a maioria das peças e nem tinha preparado nada. Vá que o Davi resolva chegar antes do tempo", premeditou Sara, uma vez que Davi era esperado só para o dia 9. A cada peça retirada da sacola, Sara expressava gratidão. Da sacola, a mãe foi tirando fraldas descartáveis, meias de tecido, sapatinho, conjunto de lã, sabonete, manta de soft bordada, toalha de banho, tip top de malha de algodão, macacão de soft e body. O kit é montado conforme a estação do ano e foi a primeira vestimenta do pequeno Davi.

Adesão

A ousadia de chamar para si a responsabilidade de formar um grupo de voluntárias foi da cabeleireira Josiane Dias Pereira Figueiredo. "Pequei a minha lista de contatos do Whats e lancei a proposta", confessou. A ideia, no entanto surgiu na época da faculdade de Teologia, durante a tarefa de apresentar um projeto assistencial. Os primeiros passos foram com grupo de tricoteiras ligado à igreja. Mas agora, com 30 voluntárias ativas e mais 30 que apoiam quando possível, o projeto é aberto a todas as pessoas de diferentes religiões e com habilidades para costura, bordado, tricô, ou não, mas que possam atuar na organização das peças e, principalmente no trabalho de angariar doações. "O único objetivo é fazer a caridade para bebês carentes e em situação de vulnerabilidade social."

A coordenadora, que falou pelo grupo no dia da visita a Sara, contou que ao longo do ano foram entregues enxovais no Beco da Castilhos, no Pantano, no Pontal da Barra, no hospital São Francisco de Paula e na Casa da Gestante. Josiane explicou que cada voluntária fica encarregada de descobrir um necessitado, sendo que a situação é checada antes da entrega. "Uma das entregas mais emocionantes foi para um bebê que foi abandonado na UTI do hospital", comentou a cabeleireira.

e6799af3-843d-4914-959a-aa4d5df3f281Grupo se organiza por meio do WhatsApp e já distribuiu 63 enxovais (Foto: Divulgação)

Bouquet do Amor

O aniversário de um ano do grupo Unidas pelos Bebês, quando as voluntárias puderam se conhecer pessoalmente, serviu também para agradecimentos e orações. Um deles para o projeto Bouquet do Amor, que abasteceu o estoque do QG (como elas costumam chamar o espaço reservado para a montagem dos enxovais) com novelos de lã. Josiane comentou que a primeira doação de novelos, ainda em 2018, foi o principal estímulo para seguir em frente. O projeto também recebe doações, como metros de malhas de soft ou de tecido de algodão, encaminhados para as devidas e habilidosas cortadeiras, costureiras e bordadeiras. Ao término de cada peça, cada uma é entregue no QG. "É impressionante o sentimento de solidariedade das pessoas. Basta eu colocar no grupo do Whats que está faltando algo, que sempre tem alguém que se prontifica." Nos últimos meses, foi aberto um livro caixa para quem deseja ajudar o grupo em dinheiro e multiplicar, assim, as ações solidárias.

A próxima entrega, que além do kit é acompanhada de orações e desejos de que mãe e bebê recebam as bênçãos de Deus, está prevista para o loteamento Mauá e poderá contar com a colaboração de mais voluntários. Josiane diz que toda a ajuda - pelo WhatsApp (53) 98405-4224 - é bem vinda. O contato com a Unidas pelos Bebês também pode ser feito pelo Instagram @unidaspelosbebes.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados