Dificuldade

Uma espera que pode durar até um ano

Usuários reclamam da dificuldade na hora de realizar o agendamento para a confecção da carteira de identidade em Pelotas

20 de Outubro de 2021 - 11h42 Corrigir A + A -
Usuários relatam dificuldades para agendar atendimento através do site (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Usuários relatam dificuldades para agendar atendimento através do site (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Ligações que não são atendidas e página na internet sem datas para agendamento. Essa é a realidade de quem tenta fazer a carteira de identidade em Pelotas. Há casos em que só foi possível fazer o documento de identificação após quase um ano de tentativas. Segundo o Instituto Geral de Perícias (IGP) - responsável pela confecção do documento - a falta de servidores e a alta demanda são apontadas como os principais motivos para a demora. Em Rio Grande, a situação se repete.

A pensionista Ana Paula Ávila, 48, está há 15 dias tentando marcar para seu filho refazer o RG, já que o atual é de 2014 e para fazer a inscrição na escola militar é exigido documento confeccionado a partir de 2015. Ela conta que já tentou diversas vezes realizar o agendamento através do site, mas sempre aparece a notificação de que não há data disponível. Preocupada, a mãe procurou o IGP na última sexta-feira, mas foi orientada que a marcação só ocorre pelo endereço online. "Já estou antecipando, pois se demorar muito ele [o filho] pode perder a vaga", comenta.

Já Valéria Vargas, 39, conseguiu o agendamento depois de quase um ano tentando. A gerente de loja conta que desde que se divorciou em novembro de 2020, foram vários acessos ao site em busca de uma data para refazer o documento de identificação com seu nome de solteira. Tentativas também foram feitas pelo telefone, mas as ligações acabaram não sendo atendidas. "Não adianta ligar e no site só consegui porque teve um dia que acessei à meia-noite", conta.

Nos últimos dias, reportagem do Diário Popular simulou a tentativa de agendamento no site. No entanto, não havia horários disponíveis. Ao buscar ajuda através do telefone do IGP, as ligações não foram atendidas.

Pouca gente para trabalhar

A explicação para tanta demora, segundo o chefe da seção de identificação do Instituto Geral de Perícias de Pelotas, Fábio Silveira, é a alta demanda e a falta de trabalhadores. No local, diariamente é possível produzir cerca de cem documentos. Quantidade que corresponde à metade do praticado em 2019, porém um pouco mais do que as 60 carteiras feitas por dia no ano passado - período mais crítico da pandemia de Covid-19. Ele explica que por conta dessa diminuição no número de RGs confeccionados, a demanda ficou represada e agora, com maior liberação dos protocolos, a população tem buscado o serviço. Porém, pondera que os cinco estagiários e os dois servidores não têm dado conta.

Silveira diz ainda que está ciente das dificuldades encontradas pela população e adianta que a partir do dia 1º de dezembro a oferta de fichas para atendimento será ampliada de 50 - quantidade atual - para cem. Ele ainda aconselha que o acesso ao site para fazer o agendamento seja feito diariamente às 8h, horário em que o sistema abre o calendário, e que preferencialmente busquem o serviço apenas quem estiver precisando urgentemente do documento. O IGP está localizado na avenida Bento Gonçalves, 4.302, e funciona de segunda a sexta-feira das 8h às 14h. O telefone para contato é o (53) 3225-6630.

Dificuldades em geral

Em Rio Grande, a situação é semelhante a Pelotas. A reportagem do DP também tentou simular agendamentos e não conseguiu. Na tarde da última quinta-feira, o site notificou que não haviam horários disponíveis. Ao entrar em contato com o IGP da cidade, um dos atendentes informou que caso não houvesse como agendar o atendimento pela internet, o usuário poderia se dirigir ao local de segunda a sexta-feira entre 8h e 13h, portando os documentos necessários, que seria atendido. O instituto está localizado na rua Marechal Floriano Peixoto, 248.

O que diz o IGP

Em nota, o Instituto Geral de Perícias informou que diariamente o calendário para agendamento é aberto no site e quando há cancelamento, a data automaticamente fica disponível. O órgão ressalta que uma ação realizada em agosto deste ano diminuiu o prazo para confecção de carteiras de identidade em Pelotas. Neste período, foram 2.557 atendimentos, incluindo pessoas agendadas até outubro. Com isso, a espera diminuiu de seis meses para 45 dias. Questionados sobre a possível falta de trabalhadores, o IGP nega e diz que a equipe do posto Pelotas está sendo reforçada com a designação de um papiloscopista que fará atendimento ao público. "Importante ressaltar que 30% das pessoas que fazem o agendamento não comparecem no dia e horário marcados, o que impede o atendimento a outros cidadãos e aumenta o tempo de espera para se conseguir agendamento. O IGP apela para que compareçam no horário agendado, ou que cancelem o agendamento no site", diz a nota.

Como fazer a carteira de identidade

Documentos obrigatórios 1ª ou 2ª via

- Solteiros:
Certidão de nascimento, original e em ótimo estado de conservação

- Casados/separados/divorciados/viúvos:
Certidão de casamento, com averbação de separação ou divórcio, original e em ótimo estado de conservação

- Demais casos:
Consultar no site igp.rs.gov.br

Documentos opcionais

- CPF
- CNH
- PIS/PASEP
- Cartão Nacional de Saúde
- Identidade Profissional
- Título de Eleitor
- Tipo Sanguíneo e Fator RH
- Nome Social
- Condições Peculiares de Saúde Ex.: Diabetes, Surdez, Hemofilia (mediante apresentação de laudo médico)

Taxas

1ª via: Gratuita
2ª via: R$ 74,11 - Isentos: maiores de 65 anos ou vítimas de roubo (obrigatória a apresentação do Boletim de Ocorrência).
2ª via (modalidade expressa): R$ 96,34.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados