Tecnologia

Um evento para valorizar a Ciência

Primeiro dia da Mostrarob foi destinado à exposição de trabalhos de estudantes do Ensino Fundamental; mostra ocorre até sexta-feira

11 de Setembro de 2019 - 23h20 Corrigir A + A -
Érika desenvolveu um sistema de acesso a prédios históricos para cadeirantes, baseado em energia solar (Foto: Paulo Rossi - DP)

Érika desenvolveu um sistema de acesso a prédios históricos para cadeirantes, baseado em energia solar (Foto: Paulo Rossi - DP)

Promover a valorização e o estímulo à produção científica dentro e fora da sala de aula. Esse é um dos objetivos da Mostra Nacional de Educação, Ciência e Tecnologia (Mostrarob), que teve início nesta quarta-feira (11) no Campus Pelotas do IFSul e vai até sexta. O primeiro dia do evento foi destinado somente à exposição e premiação dos trabalhos dos alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental.

Um dos coordenadores do evento, Luís Otávio Victoria, relata que houve um crescimento no número de projetos inscritos nas categoria de Ensino Fundamental, 50 neste ano, contra oito no ano passado. Segundo ele, a destinação de um dia exclusivo para esses trabalhos, uma novidade neste ano, além das conversas entre alunos das instituições sobre a experiência de participar do evento, podem explicar esse aumento. "Eles acabam incentivando uns aos outros", destaca. Desde 2014, os participantes também podem expor trabalhos de diferentes áreas do conhecimento. Na edição deste ano, eles abrangem as áreas de Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Sociais, Matemática e Linguagens e Artes.

Entre os trabalhos, foi possível observar a preocupação com o meio ambiente, por meio da utilização de fontes de energias limpas e renováveis, aliada à acessibilidade. É o caso do trabalho desenvolvido por Érika da Cruz, estudante do 9º ano do Colégio São José, com o título Uma proposta utilizando energia limpa para acesso de cadeirantes a prédios com arquitetura histórica e outros seguimentos. A ideia prevê a instalação de um elevador, que conduziria o cadeirante à porta de entrada do prédio. A energia necessária para o funcionamento seria obtida com a instalação de painéis fotovoltaicos, que utilizam a energia solar como forma de gerar tensão elétrica.

A professora de Química do Colégio São José, Greice Sedrez, conta que esta é a terceira edição que alunos da instituição participam. Ela afirma que as escolas têm papel fundamental no desenvolvimento de trabalhos que estimulem o interesse dos alunos para a produção científica. Além disso, o apoio dos pais torna-se essencial, à medida que os jovens enfrentam dificuldades que podem surgir no decorrer do processo de elaboração do trabalho.

Neste primeiro dia também houve a participação de estudantes de outras cidades. O jovem Marcos Antônio, por exemplo, é aluno do 9º ano da Escola de Ensino Fundamental Cândida Silveira Haubmann, de Arroio Grande. Ele viajou cerca de 88 km, até Pelotas, para expor um trabalho que mostra a importância das plantas para o meio ambiente e para a vida humana.

Ao fim desse dia de evento, foram escolhidos em cada uma das categorias os projetos ganhadores no grupo de Ensino Fundamental, que foram premiados com troféus e medalhas. Parte dos melhores projetos também ganharão vagas para concorrer em outros eventos voltados à produção científica, como a Mostratec Junior, realizada em Novo Hamburgo, a Feira Mineira de Iniciação Científica (Femic), e a Feira Brasileira de Iniciação Científica (Febic), em Santa Catarina.

O evento
A Mostrarob é realizada no Campus Pelotas do IFSul desde 2011. Inicialmente voltada às competições de robótica, a mostra passou a contar com exposições de trabalhos de outras áreas do conhecimento. O evento, atualmente, reúne trabalhos de alunos do Ensino Fundamental, Médio, Técnico e Superior de instituições públicas e privadas. Nesta 8ª edição, foram inscritos 207 trabalhos, com participantes de escolas de outros cinco estados, além do Rio Grande do Sul.

Nesta quinta e sexta as atividades serão voltadas à exposição de trabalhos técnico-científicos de alunos dos ensinos Médio/Técnico e Superior, além das competições de robótica. A premiação ocorre na sexta-feira, às 20h, no auditório Enilda Feistauer.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados