Inflação

Um churrasco mais salgado

Equipe do DP percorreu açougues da cidade e simulou o valor de um churrasco para o feriado

20 de Setembro de 2021 - 09h22 Corrigir A + A -
Alternativas. Clientes diminuíram a procura por carnes nobres (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Alternativas. Clientes diminuíram a procura por carnes nobres (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Diferente dos outros anos, o 20 de Setembro de 2021 não deverá ser comemorado com churrasco em muitas casas do território gaúcho. Com o preço dos cortes, o alimento deverá ser substituído em algumas residências no dia do feriado. Em um ano, a carne bovina subiu cerca de 30% e, por isso, deixou de ser a mais cotada no prato dos gaúchos.

De acordo com os dados apurados pelo Procon Pelotas, o preço médio do quilo da carne bovina no cesto básico era de R$ 30,89 em agosto de 2020. Já em agosto de 2021 o valor médio passou para R$ 40,61. Em um açougue da zona central, a reportagem simulou o valor de um churrasco para uma família de cinco ou seis pessoas. Nos itens, foram incluídos três quilos de costela minga (R$ 88,20) , meio quilo de salsichão cortado a faca (R$17,20), um pacote com quatro pães de alho (R$ 10,90) e um saco pequeno de carvão (R$ 16,90). Isso, totalizou um valor de R$ 133,20.

De acordo com o proprietário do local, Paulo Moreira, os preços subiram cerca de 25% de um ano para o outro, mas, mesmo assim, o movimento no açougue se mantém equilibrado. "Mas a gente percebe o impacto e acaba ouvindo os comentários dos clientes", completou. Ele também afirma que os cortes nobres seguem saindo, mesmo com o valor em alta. Atualmente, no estabelecimento, o quilo da picanha custa 60,70, da maminha 52,40 e o vazio sai por 41,20, o quilo.

Em outra casa de carnes, no Navegantes, a realidade é um pouco diferente. Por lá, o proprietário, Paulo Roberto Pinto, sente a queda nas vendas, principalmente a partir da segunda quinzena do mês. Porém, ele garante que muitos acabam achando um jeito para manter a tradição do churrasco. "A gente percebe que quem compra a picanha é quem tem mais condições, mas a costela e a linguiça não para nunca", falou.

Quem esteve por lá foi a chef de cozinha Jaqueline Rodrigueiro. Ela não consome mais carne vermelha há um tempo, mas segue comprando pois o restante da família mantém o hábito. O churrasco, entretanto, já não é mais uma realidade na casa da família. Ela conta que até a carne de frango está complicada de comprar, já que também passou por aumento nos últimos tempos. "Eu acabo substituindo por fígado, era uma carne que eu não comprava muito e agora acaba sendo o jeito", contou, enquanto comprava guisado. Outros alimentos que estão se tornando alternativos no preparo das refeições são ovos, peixe e mondongo.

Confira os preços dos produtos para um churrasco com cinco pessoas:- 3 kg de costela minga - R$ 88,20
- meio quilo de salsichão cortado a faca - R$ 17,20
- um pacote com quatro pães de alho - R$ 10,90
- um saco pequeno de carvão - R$ 16,90
Total: R$ 133,20


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados