Recuperação

Um ato para celebrar a vida

Morador de São José do Norte recebeu alta da ala Covid do HE-UFPel nesta quarta e transformou-se no primeiro paciente grave a ir para casa

15 de Julho de 2020 - 15h25 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Carlos Queiroz 651160Saída do paciente do HE foi com muita emoção nesta quarta (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O momento foi de celebração. À vida. Às 11h27min desta quarta-feira (15) ocorreu a primeira alta de paciente que esteve em estado grave e precisou de ventilação mecânica, na ala Covid do Hospital-Escola da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O homem de 53 anos, morador de São José do Norte, chegou a ficar 11 dias intubado. Poder abraçar familiares, com a certeza de que voltaria para casa, virou motivo de festa. E de emoção.

Balões, cartazes, uma salva de palmas e inúmeros pares de olhos em forma de sorrisos escondidos atrás das máscaras. De trilha, o clássico We are the champions. "Gostaríamos que todas as famílias pudessem ter esta felicidade que está se realizando agora", resumiu a esposa, ao conversar com o Diário Popular.

E, ainda que tenha pedido para não ser identificada, fez questão de agradecer a dedicação da equipe e mencionar os dias de angústia, a distância, já que os pacientes internados em ala Covid não podem receber visita. "Ficávamos à espera do boletim e aquela voz angelical que conversava conosco, nos tranquilizava. A cada notícia era uma vitória", destaca.

Em São José do Norte, parentes e amigos ajudavam a engrossar correntes de oração - lembram a mulher e a prima. Para elas, o apoio chegava como resposta natural dos anos de trabalho em que ele mantém contato direto com a comunidade; primeiro, como policial militar e, nos últimos tempos, como profissional de saúde do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). "Ele sempre esteve pronto para ajudar. Muito carismático", orgulham-se as duas.

Carlos Queiroz 651166Indescritível a alegria do reencontro do paciente com a família (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Sua vitória é a nossa vitória

A alegria se espalhou por diferentes setores do hospital. É uma equipe inteira que vence quando uma história tem final feliz. Médicos, enfermeiros, técnicos de Enfermagem. Fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, educadores físicos. Assistentes sociais, psicólogos, trabalhadores do laboratório, da Nutrição, da higienização... A satisfação cruza da recepção ao leito. Foi o que ocorreu nesta quarta.

Em palmas, alguns em lágrimas. Com os celulares para cima para registrar o momento em fotos e vídeos e reforçar uma mensagem Sua vitória é a nossa vitória. E ampliar um apelo: Fique em casa.

"Esse tipo de momento é um marco pro hospital", resume a chefe da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Covid, Bárbara Ramos. "É importante pra vermos que não são só perdas. A gente pode vencer", reitera. Como na trajetória encerrada, às 11h27min, de braço erguido, após 18 dias de hospitalização.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados