Celebração

Três anos de apoio à startups de Pelotas

Pelotas Parque Tecnológico completa mais um aniversário com olhar voltado para o futuro

16 de Setembro de 2019 - 22h03 Corrigir A + A -
Área é gerida por associação sem fins lucrativos (Foto: Jô Folha - DP)

Área é gerida por associação sem fins lucrativos (Foto: Jô Folha - DP)

Um coquetel na noite desta segunda-feira (16) marcou o início da programação de aniversário de três anos do Pelotas Parque Tecnológico. As atividades em comemoração a data vão até quarta e contam, também, com o lançamento de novas iniciativas, como a criação de um mascote e de espaços que valorizem a história e o futuro do Parque.

O Espaço Linha do Tempo, por exemplo, é localizado na entrada do prédio. Nele, foram colocados marcos importantes para o Parque, como a criação da associação sem fins lucrativos que gere o local (Tecnosul) e a data em que foi atingida a capacidade máxima de lotação do local, em março de 2018. Em outro espaço também foi criada a Galeria Empresas de Sucesso, um desenho de uma árvore tecnológica onde serão colocados casos de empresas que se desenvolveram no Parque e obtiveram crescimento substancial, de forma que se tornaram autossustentáveis. Rosâni Ribeiro, diretora executiva do Parque, cita o caso da Melhor Envio, startup fundada por alunos da Universidade Católica de Pelotas que, se instalou no local ainda em 2017. Nestes anos, a empresa passou por um grande crescimento e precisou mudar de endereço. "A maior sala que a gente tinha já não era suficiente", revela.

A data também serviu para a entrega de uma placa em homenagem aos membros da primeira gestão da Tecnosul no período entre 2016 e 2019, que se encerrou em julho deste ano.

Nesta terça, a programação continua com a final da votação para escolha do projeto de criação do mascote "Candy Valley". Duas propostas de pintura da formiga, que será símbolo do local, podem ser votadas até o meio-dia no endereço tinyurl.com/y2xjs9et. Mais tarde, às 17h30min, o resultado será divulgado no local, juntamente com um bolo de aniversário. As atividades se encerram na quarta, com a realização do lançamento regional do programa Jovem RS Conectado no Futuro, que prevê parcerias com parques tecnológicos e universidades para promover o empreendedorismo, a inovação e a criatividade em escolas do Estado. "Três pilares que valorizamos no Parque", salienta Ribeiro.

Desafios para o Futuro
Para a diretora, o parque representou o preenchimento de uma lacuna na cidade, ter um parque tecnológico. Segundo ela, um dos desafios para os próximos anos é a expansão de parcerias com empresas não residentes no local. Nesta modalidade as empresas não possuem estrutura física no prédio, mas contam com a possibilidade de utilização das instalações, como disponibilização de salas, áreas do Parque e também do auditório, além de trabalhos como o de mentoria.

Entre as ideias, também há a criação de um fundo financeiro de auxílio às startups. Ribeiro conta que a intenção é criar uma cultura de investimento em setores de alto risco nas empresas da região, para que possam apoiar projetos desenvolvidos no local. Ela conta que a maioria dos investidores ainda é de fora do Estado, mas acredita que com o surgimento de casos de sucesso, a tendência é que a mentalidade local mude.

Rede de Incubadoras IFSul
Durante as atividades desta segunda, também houve a apresentação do projeto arquitetônico da rede de incubadoras do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul Rio-grandense (IFSul). Conforme a apresentação, o local terá capacidade para atender até quatro empresas incubadas. "A intenção é fomentar na comunidade a criação de uma cultura empreendedora", conta o diretor de Relações com a Sociedade, Edgar Matarredona. Segundo ele, a expectativa é que também atuem no local empresas de outros ramos além da tecnologia, como as de economia criativa e solidária, fortalecendo ações que já são desenvolvidas nos 14 campi da Instituição. Conforme Gisela Duarte, pró-reitora de Extensão e Cultura do IFSul, a apresentação do projeto é o primeiro passo deste processo. Além da construção da estrutura, é preciso, também, que haja a aprovação de um regulamento da rede de incubadoras pelo Conselho Superior do Instituto. A expectativa é que o local esteja funcionando até o segundo semestre de 2020, e receba empresas dos dois campi da instituição em Pelotas.

O Parque
O Pelotas Parque Tecnológico foi inaugurado em 16 de setembro de 2016. É gerido pela Tecnosul - Parque Científico e Tecnológico, uma associação civil sem fins lucrativos de direito privado, caráter científico, tecnológico, educacional e cultural. O parque possui um Conselho de Administração (Consad), eleito a cada três anos, e atua em áreas nas como tecnologia da informação e comunicação, tecnologia em saúde e indústria criativa.

Atualmente, 63 empresas atuam no Pelotas Parque Tecnológico, sendo 23 instaladas nas áreas geridas pelo Parque, sete no coworking, 15 incubadas e 18 pré-incubadas. Entre as incubadoras estão a Conectar, Incubadora de Base Tecnológica da UFPel; Ciemsul, incubadora de empresas multissetorial da UCPel e Senatec, destinada às empresas júnior. Ainda, existem 23 instituições parceiras. Em março de 2018, o local atingiu 100% de sua ocupação. O Parque conta com um auditório para 230 pessoas, duas salas de reunião e capacitações e estacionamento para 65 carros. Ao todo, gera 267 empregos diretos e 638 indiretos.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados