Pandemia

Todo o RS em bandeira preta pela primeira vez

À beira de um colapso no sistema de saúde, governador Eduardo Leite anunciou a suspensão da cogestão

25 de Fevereiro de 2021 - 21h22 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Novas doses de imunizantes foram distribuídas nesta quinta-feira (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Novas doses de imunizantes foram distribuídas nesta quinta-feira (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O alerta é máximo. O Estado inteiro ficará em bandeira preta, de altíssimo risco para propagação do coronavírus. Com isso, está suspensa a cogestão do Distanciamento Controlado. A decisão, que vale deste sábado até o domingo, dia 7, foi tomada na tarde desta quinta-feira (25) em reunião do governador Eduardo Leite (PSDB) com representantes da Famurs para traçar estratégias e endurecer restrições para o enfrentamento da pandemia.

O sistema de saúde está à beira do colapso. O número de mortes, de infectados e de internações não para de crescer no Rio Grande do Sul. A média de hospitalizações que no primeiro pico da Covid-19 era de 65 novos pacientes por dia, na quarta-feira chegou a 246. E o total acumulado de internados em decorrência da doença bateu em 4.925 pessoas, entre leitos clínicos e de Unidade de Tratamento Intensivo.

Ao apresentar balanço de dados, com a ocupação de UTI em 91,4% em solo gaúcho, a secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, foi taxativa: “Estamos apavorados”. Em fevereiro, por exemplo, em torno de 75% dos casos mais graves acabaram em morte.

Os hospitais públicos e privados, portanto, foram chamados a disponibilizar toda a sua estrutura para atendimento da Covid-19. O apelo foi feito pelo governo do Estado, ao anunciar o último nível da fase 4 do Plano de Contingência Hospitalar, montado no início da pandemia.

“Precisamos dar um forte golpe na taxa de transmissão ao longo da próxima semana, pra que se evite algo que não queremos vivenciar, que são pessoas morrendo sem atendimento”, reiterou o governador, ao defender que prefeitos e sociedade devem compreender que o cenário é excepcional e grave.

Conheça alguns números

Em 30 dias, mais do que dobrou o número de hospitalizações no Rio Grande do Sul. Em 24 de janeiro, entre pacientes confirmados e suspeitos, eram 2.383 pessoas internadas. Nesta quinta, o total já alcançava 4.925; mais 211 internações em 24 horas.

Os 4.925 gaúchos hospitalizados em função da Covid-19 superam a população de 230 municípios.

As 12.029 vidas que já foram abreviadas pela infecção no Rio Grande do Sul ultrapassam o tamanho da população de 351 cidades.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados