Propriedade

Terreno do Valverde Praia Clube vai a leilão

Os lances ocorrerão de forma virtual, no próximo dia 29, e o valor inicial é de R$ 930 mil

08 de Julho de 2020 - 10h55 Corrigir A + A -
O imóvel foi avaliado em R$ 1.860 milhão, mas o lance inicial será a metade do valor (Foto: Carlos Queiroz - DP)

O imóvel foi avaliado em R$ 1.860 milhão, mas o lance inicial será a metade do valor (Foto: Carlos Queiroz - DP)

A tradicional entidade social pelotense, Valverde Praia Clube, localizada na rua Viamão 290, no Laranjal, será leiloada no dia 29 de julho, às 14h. O leilão ocorrerá de forma on-line e todos os participantes poderão acompanhar o ato através do site www.zagoleilões.com.br. Os interessados em comprar a propriedade devem acessar o mesmo endereço e realizar um cadastro prévio, assim estarão autorizados a ofertarem seus lances. A transmissão também ocorrerá pelo site.

O leiloeiro responsável, John Levy Zago, explica que em função da pandemia da Covid-19 os leilões não estão ocorrendo de forma presencial. Porém garantiu que todos inscritos participarão de forma interativa do momento, podendo ofertar os lances e enxergar os todos os participantes. Os lances já estão abertos, ou seja, quem se cadastrou já pode ofertar. A recomendação de Zago é que os cadastros sejam feitos com 24h de antecedência.

O imóvel foi avaliado em R$ 1.860 milhão e o lance inicial será de R$ 930 mil ou seja, metade do valor. No dia do leilão ocorrerão três batidas, quem der o maior lance será o novo proprietário. O pagamento precisa ocorrer à vista, através de um depósito judicial em até 24h após a finalização do evento. O prédio foi penhorado no processo n° 020501-91.2018.5.04.0103 em tramitação na 3ª Vara do Trabalho de Pelotas

Duas regiões do imóvel foram ocupadas por pessoas sem ligação à propriedade. Mas no momento da penhora, a justiça descontou essas áreas, ou seja, está sendo leiloado apenas a parte não ocupada.
Em outra oportunidade, em 2018, o local também foi a leilão, mas acabou não sendo vendido. Na ocasião, o clube perdeu uma ação movida pelo Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad).

A história do clube

O Valverde Praia Clube foi fundado em 1963. A ideia surgiu através de um grupo de amigos, que eram moradores das redondezas do local. Como tinham o hábito de estar sempre juntos e organizar diversas brincadeiras, entenderam que um clube seria uma boa ideia. Foi então que Arthur Augusto e Judith Assumpção doaram o terreno para que o Valverde fosse construído. 

O neto do casal, João Arthur Assumpção, recorda a bonita história da entidade social e lembra que “começou em um chalé de palha de santa fé, cheio de festas”. Anos depois, João Arthur acabou assumindo a presidência do local e afirma que as dificuldades financeiras eram grandes, mas nunca ao ponto de pensar em falência. Porém, na última gestão os problemas aumentaram e as portas do Valverde fecharam. “O sentimento da família é de tristeza”, falou.

O ex-presidente conta que outros terrenos já foram doados pela família, e que sempre existia uma ressalva: quando a entidade terminasse a propriedade voltaria às mãos dos Assumpção. “Neste caso do clube eu não sei explicar porque foi diferente”, disse. A família garante que tentou evitar a situação e inclusive esteve na Promotoria Pública para alertar sobre o que vinha acontecendo. “Infelizmente a vida do clube terminou e agora ele está sendo leiloado”, lamentou.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados