Estragos

Tempestade assusta e deixa estragos em Pelotas

Com atividade elétrica intensa e fortes rajadas de vento, o temporal derrubou árvores, causou alagamentos e deixou mais de 200 mil pessoas sem luz na região

11 de Janeiro de 2021 - 21h33 Corrigir A + A -
Galhos ficaram atravessados na pista na avenida Duque de Caxias (Foto: Júlio Moura - Especial - DP)

Galhos ficaram atravessados na pista na avenida Duque de Caxias (Foto: Júlio Moura - Especial - DP)

Árvore de grande porte também foi derrubada pela força da tempestade (Foto: Júlio Moura - Especial - DP)

Árvore de grande porte também foi derrubada pela força da tempestade (Foto: Júlio Moura - Especial - DP)

Ainda durante a manhã desta segunda-feira (11), a Defesa Civil emitiu o primeiro alerta para chuvas intensas, com possíveis rajadas elétricas, granizo e ventos de até 70 quilômetros pora hora na Zona Sul. Boa parte dessa previsão se concretizou e o forte temporal que caiu sobre a região já no fim da tarde deixou muitos estragos e milhares de pessoas sem energia elétrica. 

A atividade elétrica foi "pra concurso". Os clarões e trovões que vinham do céu não assustaram apenas os cachorros - constantes vítimas das tempestades -, mas também grande parte da população. A chuva torrencial e a altíssima frequência de raios perdurou por mais de duas horas, tempo suficiente para deixar mais de 200 mil clientes sem luz em Pelotas e Rio Grande, de acordo com os dados preliminares divulgados pela CEEE. E esses números podem aumentar, já que a chuva - pelo menos até as 21h29min - não ofereceu trégua. A Companhia informou estar com equipes nas ruas para minimizar os problemas e fez um alerta para que moradores "priorizem a segurança e não toquem em galhos ou cabos caídos".

Em Pelotas, de acordo com o Laboratório de Agrometeorologia da Embrapa, a ventania atingiu 96 quilômetros por hora às 19h16min. Sendo assim, não foram poucos os registros de árvores caídas. Somente no Fragata, na avenida Duque de Caxias, uma das principais da cidade, foram pelo menos três. Uma delas atingiu em cheio um veículo, próximo ao Exército, mas de acordo com o Corpo de Bombeiros não houve vítimas. Em frente ao Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula, galhos e troncos também ficaram espalhados pela pista, assustando os motoristas. Pelas redes sociais, moradores também relatam queda de postes no bairro Santa Terezinha.

Muitas ruas da cidade registraram alagamentos, como pontos já conhecidos do Porto, do Areal e até mesmo do Centro, tamanho o volume de água. Em contato com os bombeiros, o DP conseguiu poucas informações devido ao tumulto no plantão, que continua recebendo muitos chamados. Além de árvores caídas na via, houve também um incêndio em uma estufa no Morro Redondo - em pleno temporal.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados