Números

SUPRG faz balanço do primeiro semestre

Em coletiva de imprensa, realizada na manhã de sexta-feira, em Rio Grande, superintendente apresentou dados de sua gestão

12 de Julho de 2019 - 23h19 Corrigir A + A -
Estima lembrou que 25% do PIB gaúcho passa pelo porto de Rio Grande (Foto: Paulo Rossi - DP)

Estima lembrou que 25% do PIB gaúcho passa pelo porto de Rio Grande (Foto: Paulo Rossi - DP)

A Superintendência dos Portos do Rio Grande do Sul (SUPRG) fez um balanço dos primeiros seis meses da atual gestão, liderada por Fernando Estima, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Pelotas. Em uma coletiva de imprensa, Estima destacou as principais ações que, como disse, buscam melhorar o ambiente de negócios e modernizar a gestão das estruturas portuárias do Estado. Também foram abordados temas como a dragagem do complexo portuário de Rio Grande e o futuro da autarquia, que deve se abrir para o setor privado no próximo período.

A SUPRG também é responsável por outros portos do Estado, como é o caso de Pelotas, Estrela, Cachoeira do Sul e Porto Alegre. Uma das principais metas de Estima é fazer parcerias com a iniciativa privada. "Hoje 25% do PIB gaúcho passa pelo Porto de Rio Grande", disse. O estímulo à industrialização do Rio Grande do Sul, opinou, passa pelo uso de hidrovias que possibilitam enviar o que é produzido para todo o mundo. O superintendente citou o terminal em Triunfo, a cerca de cem quilômetros de Caxias do Sul, como estratégico para impulsionar o uso de hidrovias pela indústria da Serra Gaúcha.

O superintendente também destacou a área do Porto disponível no Distrito Industrial, um total de 2,5 mil hectares, além de 13 milhões de metros quadrados arrendáveis na orla de São José do Norte. "Não há licitação de uma área molhada desde 1998. Não faltam interessados", declarou.

Travessia Rio Grande a São José do Norte
Em breve, anunciou Estima, uma nova empresa entrará em operação tanto no transporte de pessoas como de veículos entre Rio Grande e São José do Norte. Além de abrir a concorrência, que agora terá mais uma empresa, será lançado um aplicativo de compra on-line antecipada de passagens para a travessia.

Retração na exportação da soja
Num comparativo entre o primeiro semestre de 2019 e 2018, houve uma queda de 5,13%. A redução é atribuída por Estima pela guerra comercial entre China e Estados Unidos, que afetou a soja. A China hoje é o destino de mais da metade das embarcações que partem de Rio Grande.

Dragagem concluída em agosto
Dentro do cronograma de trabalhos, a dragagem do complexo portuário atinge 88% de conclusão. A obra deve custar cerca de R$ 500 milhões aos cofres da União, projetou. A estimativa é concluir o trabalho até setembro.

Porto de Pelotas
A Suprg trabalha neste momento para melhorar a sinalização náutica da hidrovia, o que viabiliza navegação noturna, hoje impossibilitada pela falta de boias. "A celulose pode crescer. Hoje tem mais empresas interessadas e querem se agregar, o que pode gerar mais investimento na cidade", afirmou.

O semestre no Porto de Rio Grande

Exportação

Soja
1,1 milhão de toneladas de farelo
60,9 mil toneladas de óleo
4,9 milhões de toneladas do grão

Arroz
890,1 mil toneladas

Milho
482,1 mil toneladas

Trigo
350,5 mil toneladas

Veículos
17.944 automóveis

Contêineres
322,6 mil

Principais destinos exportações
China
Coreia do Sul
Estados Unidos
Marrocos
Vietnã

Principais origens importações
Argélia
Argentina
China
Estados Unidos
Rússia

Viagens
2018: 1.235 viagens
2019: 694 viagens


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados