Pandemia

Setembro não confirma pico da Covid-19, mas alerta deve permanecer

Queda de 42% no número de mortes na Zona Sul, em relação a agosto, assim como redução nas internações de UTI não são suficientes pra relaxar

30 de Setembro de 2020 - 21h51 Corrigir A + A -

Por: Michele Ferreira
michele@diariopopular.com.br 

Em 11 de setembro, um ato em Pelotas rendeu homenagem às vítimas da Covid-19 e cobrou testagem e EPIs aos profissionais de saúde (Foto: Jô Folha - DP)

Em 11 de setembro, um ato em Pelotas rendeu homenagem às vítimas da Covid-19 e cobrou testagem e EPIs aos profissionais de saúde (Foto: Jô Folha - DP)

A previsão de pico da Covid-19 para setembro não se confirmou. O mês se encerra com queda no número de mortes na região, redução em hospitalizações e diminuição também em casos ativos, que são os infectados ainda em fase de transmissão do novo coronavírus. Até às 21h30min desta quarta-feira (30) eram 76 óbitos registrados em setembro, na Zona Sul. Uma redução que chega a 42%, se comparado a agosto, quando 131 pessoas perderam a vida para a pandemia.

O cenário, entretanto, não deve ser interpretado como sinônimo de relaxamento em cuidados fundamentais para conter a propagação da doença. Duas medidas precisam permanecer entre as prioridades: o distanciamento social e o aumento da testagem, que permite identificar novos contaminados e rastrear os contactantes, para barrar a disseminação do vírus.

"A flexibilização precisa ser gradual. Senão temos grande chance de recrudescimento", enfatiza a doutora em Epidemiologia, Anaclaudia Fassa. E como membro do Comitê Covid da UFPel, a pesquisadora lembra da alta quantidade de suscetíveis, isto é, as pessoas que ainda não se infectaram. Por isso, a importância de estancar a circulação do novo coronavírus.

Em Pelotas, por exemplo, apesar do quadro mais favorável - com menos mortes e menos pacientes internados em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), em relação ao último mês -, a semana passada notificou o maior número de casos positivos desde o começo da pandemia, com uma média de 62 diagnósticos confirmados por dia. Só o acompanhamento da curva epidêmica, semana após semana, irá indicar o rumo que a Covid-19 tomará em Pelotas e na região.

Veja alguns números da pandemia na região
- Maio: 1 morte - a primeira da Zona Sul
- Junho: 12 mortes
- Julho: 95 mortes
- Agosto: 131 mortes
- Setembro: 76 mortes

* Onde ocorreram os óbitos deste mês?
- Pelotas: 43
- Rio Grande: 15
- Capão do Leão: 4
- Canguçu: 3
- São Lourenço do Sul: 2
- Santana da Boa Vista: 2
- Pinheiro Machado: 2
- Herval: 2
- São José do Norte: 1
- Santa Vitória do Palmar: 1
- Morro Redondo: 1

* Em 31 de agosto: a Zona Sul possuía 7.117 infectados, com 5.336 recuperados (75%)
* Em 30 de setembro: a região soma 11.024 contaminados, com 9.647 considerados curados (87,5%)

Confira o panorama da Covid-19
* Em Pelotas: O mês de setembro se encerrou com mais uma vida abreviada pela infecção. A vítima é uma mulher de 54 anos que estava internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital-Escola da Universidade Federal de Pelotas (HE-UFPel). Com mais este óbito, agora são 124 vidas perdidas para a doença.

O boletim liberado pela Vigilância Epidemiológica também revela: o número de infectados chegou a 4.264, com mais 61 casos de coronavírus. A ocupação de leitos se mantém em alta. Até as 13h, 51 pacientes estavam hospitalizados; 22 na UTI. Na terça-feira, eram 47 pessoas; 19 com quadros mais graves.

* Na Zona Sul: Além de Pelotas, nenhum outro município da região registrou mortes em decorrência da Covid-19, nas últimas 24 horas. Até o fechamento desta edição, 53 novos casos foram notificados na Zona Sul: Rio Grande (41), Capão do Leão (3), Arroio Grande (3), Canguçu (2), Jaguarão (2), Santa Vitória do Palmar (1) e Piratini (1). Confira o cenário:

- Pelotas: 4.264 - 124 mortes
- Rio Grande: 3.830 - 127 mortes
- São José do Norte: 685 - 12 mortes
- Capão do Leão: 421 - 10 mortes
- Santa Vitória do Palmar: 403 - 3 mortes
- São Lourenço: 267 - 8 mortes
- Canguçu: 264 - 7 mortes
- Jaguarão: 171 - 3 mortes
- Arroio Grande: 117 - 1 morte
- Pinheiro Machado: 102 - 5 mortes
- Pedro Osório: 85 - 5 mortes
- Candiota: 84 - 1 morte
- Herval: 75 - 2 mortes
- Piratini: 53 - 1 morte
- Amaral Ferrador: 42 - 1 morte
- Morro Redondo: 41 - 2 mortes
- Turuçu: 32
- Cerrito: 29
- Santana da Boa Vista: 26 - 3 mortes
- Chuí: 24
- Arroio do Padre: 7
- Pedras Altas: 2
Total: 11.024 infectados e 315 mortes

* No Estado: O número de contaminados ultrapassou a barreira dos 190 mil no Rio Grande do Sul. Com outros 2.474 resultados positivos, agora são 190.572 infectados em 494 municípios. O total de mortes bateu em 4.782.

 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados