Obra

Segunda etapa do sistema de esgotamento sanitário do Laranjal é reiniciada

Tamponamentos foram feitos nas redes de esgoto para vistoriar ligações irregulares

08 de Agosto de 2018 - 19h19 Corrigir A + A -
Quatro tamponamentos foram realizados na manhã desta quarta-feira (Foto: Paulo Rossi - DP)

Quatro tamponamentos foram realizados na manhã desta quarta-feira (Foto: Paulo Rossi - DP)

Andou, um pouco, a obra do sistema de esgotamento sanitário da Praia do Laranjal. Na manhã desta quarta-feira, começaram a ser tamponadas as redes com possíveis irregularidades na ligação residencial. O objetivo é deixá-las limpas e aptas para a próxima etapa: o cadastro no Serviço Autônomo de Abastecimento de Água de Pelotas (Sanep), para que entrem em funcionamento junto a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).
A primeira parte da obra iniciou em 2006. No ano seguinte, foi concluída a ETE, localizada na avenida Joaquim Augusto de Assumpção. Em 2011 as empresas licitadas Grimon Saneamento e Construções Ltda e SJF Engenharia Ltda iniciaram a segunda etapa, mas a abandonaram sob o argumento de inviabilidade econômica. Três novas licitações foram abertas desde então para a conclusão do projeto, mas todas resultaram desertas.

Há duas semanas os trabalhos foram reativados, com o Departamento de Fiscalização (DEPR) do Sanep realizando levantamento topográfico na área, em que foi verificado o estado dos 15 quilômetros de redes implantadas pelas empresas. "O objetivo é liberá-los para ligações residenciais", explica o diretor-presidente da autarquia, Alexandre Garcia. De acordo com ele, o Sanep fará essa segunda etapa com maquinário e pessoal próprios, dispensando uma quarta tentativa de licitação. Apenas um desmembramento dela, no balneário Santo Antônio, será licitado futuramente, com custo estimado em R$ 5,5 milhões.

Indícios
Na verificação, o DEPR relacionou as redes com indícios de irregularidades na instalação. Nesta quarta-feira (8), o Sanep iniciou tamponamento nas redes para que, na sequência, sejam feitos novos testes de alinhamento e estanqueidade. "Se houver ilegalidade, o esgoto não será escoado e a ligação será desfeita", explica o engenheiro do Sanep Antônio Cardoso Elias.

Se liberadas, as redes passarão a integrar o cadastro para ligação domiciliar. Caso sejam de fato detectadas irregularidades, os moradores deverão reativar fossas sépticas e semidouros para coleta de esgoto, conforme consta no planejamento. "Essas inadequações podem acabar contaminando o lençol freático acima do limite permitido", diz Elias . Na manhã desta quarta-feira (8), quatro redes foram tamponadas, nos quatro postos de visita mais próximos da ETE na avenida Senador Joaquim Augusto Assumpção. O processo, se as condições climáticas forem as adequadas, deve durar uma semana. Os cadastros, salienta Elias, tomarão mais tempo.

A segunda etapa do sistema de esgoto sanitário do Laranjal contempla ainda limpeza de todas as redes com jateamento e conexões. Assim, cada morador poderá fazer a ligação da forma adequada, evitando a contaminação do lençol freático. Serão construídos 37 quilômetros de tubulação, além dos 15 já foram finalizados.


Ruas
O tamponamento vai incluir as seguintes ruas: Arthur Augusto Assumpção, Bagé, Bom Jesus, Caçapava do Sul, Canoas, Encantado, avenida Espírito Santo, Esteio, Farroupilha, Gramado, Hulha Negra, Lajeado, Marau, Montenegro, Nova Palma, Nova Prata, Novo Hamburgo, Piratini, Porto Alegre, Quaraí, avenida Rio Grande do Sul, Rio Pardo, Santa Cruz do Sul, Santo Ângelo, São Leopoldo, Taquari, Triunfo, Uruguaiana, Veranópolis e Viamão.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados