Saúde

Santa Casa vai receber verba bloqueada de emendas

Repasse de R$ 815 mil que estavam retidos nos cofres da prefeitura foi confirmado à Comissão de Saúde

10 de Outubro de 2019 - 18h04 Corrigir A + A -
Dinheiro foi destinado através de emendas parlamentares pelos deputados federais Afonso Hamm (PP) e Danrlei de Deus (PSD)

Dinheiro foi destinado através de emendas parlamentares pelos deputados federais Afonso Hamm (PP) e Danrlei de Deus (PSD)

Dentro de alguns dias a Santa Casa de Pelotas receberá um aporte de R$ 815 mil. A informação foi confirmada pelo provedor do hospital, João Neves da Silva durante reunião com o presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, vereador Marcos Ferreira, o Marcola (PT) para avaliar o andamento das negociações com o Governo do Estado para liberação de investimentos capazes de manter o hospital de portas abertas.

O dinheiro, que chega em meio a uma das mais graves crises financeiras vividas pela Santa Casa, foi destinado através de emendas parlamentares pelos deputados federais Afonso Hamm (PP) e Danrlei de Deus (PSD) e estava retido nas contas da prefeitura por uma impossibilidade legal de ser repassada para a entidade. No entanto, uma decisão judicial publicada esta semana mudou a situação e o dinheiro será depositado em breve. “Outros hospitais abriram mão de receber, nós entramos na Justiça e conseguimos essa vitória”, disse Neves. O provedor adiantou que parte dos recursos será usada para consertar máquinas essenciais para os serviços e infraestrutura como equipamentos do Centro de Diagnóstico por Imagens (CDI) e compra de material médico.

“Essa notícia aliada à abertura dos 21 leitos de retaguarda do Pronto Socorro que estavam fechados surge como um alívio para a população que depende do hospital, mas ainda há muito o que fazer e por isso manteremos a mobilização em defesa da Santa Casa”, comentou Marcola. 

Negociação com o Banrisul
Na próxima semana técnicos do Banrisul visitarão o hospital para fazer um minucioso levantamento das áreas apontadas como atrativas para investimento. A visita é um passo decisivo na negociação entre a Provedoria e o banco para estabelecer uma parceria que injetará no caixa dinheiro suficiente para manter os serviços e pagamentos de funcionários, médicos e prestadores de serviços ao mesmo tempo em que a administração consegue aumentar a receita e equilibrar a contas da instituição.

A ideia é atrair o Banrisul para investir especialmente nos serviços de Oncologia e Cardiologia apontados como aqueles que possuem maior capacidade de ampliação e rentabilidade.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados