Análise

Sanep detecta contaminação interna no IFSul

Origem do problema ainda não foi detectado pelo educandário, que permanece com as aulas suspensas até a próxima segunda-feira

23 de Outubro de 2019 - 11h45 Corrigir A + A -
Laudo foi apresentado em reunião na manhã desta quarta. (Foto: Paulo Rossi - DP)

Laudo foi apresentado em reunião na manhã desta quarta. (Foto: Paulo Rossi - DP)

Atualizada às 19h05 para acréscimo de informações

Um laudo técnico divulgado pelo Sanep na manhã desta quarta-feira (23) confirmou uma contaminação na rede de água interna no Campus Pelotas do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul). Ao todo, o Departamento de Tratamento da autarquia coletou amostras em 14 pontos - 13 reservatórios e na entrada de água da rede geral. Técnicos do laboratório do Sanep encontraram coliformes totais em nove reservatórios. Em quatro deles, foram detectados coliformes fecais com a bactéria escherichia coli. Na rede de entrada que abastece a região não foram identificadas anormalidades.

Uma empresa já foi contratada pelo IFSul para higienizar todos os reservatórios e revisar a tubulação interna de água potável. Um laudo interno, realizado pelo curso de Química, também será realizado pela instituição. As aulas permanecem suspensas até a próxima segunda-feira, dia 28. O Campus volta a funcionar normalmente na terça-feira, dia 29.

O laudo foi apresentado na manhã desta quarta-feira em uma reunião entre diretores do Sanep e do campus do IFSul. As causas da contaminação ainda estão sendo apuradas e não há conclusão sobre o fato.

O Sanep descartou a contaminação externa na rede de água que abastece a região. Os técnicos também coletaram amostras em outros pontos do bairro Fragata e proximidades ao campus, localizado na avenida 20 de Setembro. Em nenhum destes pontos externos foi detectado qualquer alteração na água, confirmando a tese de que o problema está nos próprios reservatórios do Instituto Federal.

Sem contaminações do lado de fora
"A população não precisa se preocupar. Continuamos coletando semanalmente em mais de 70 pontos da cidade e os laudos apresentam que a água continua em perfeitas condições", declarou Alexandre Garcia, diretor-presidente do Sanep.

O Campus Pelotas possui um total de 22 reservatórios de água. Como alguns estão interligados, foram necessárias coletas em 13 locais, além do ponto onde entrada de água da rede geral. A amostra retirada da entrada não apresentou qualquer tipo de anormalidade ou alteração, o que confirma que a contaminação é apenas interna no prédio.

Chefe do Departamento de Tratamentos, Vinicius Gonçalves explicou que a equipe também retirou amostras em outros pontos da rede externa para ter a garantia da qualidade da água direcionada à região. "Retiramos também na Faculdade de Medicina da UFPel, próximo à Santa Casa de Misericórdia, além do Simões Lopes e Padre Réus. Nenhum apontou qualquer tipo de alteração", garantiu.

Aulas seguem suspensas
O diretor do Campus Pelotas, Carlos Jesus Corrêa informa que as medidas de segurança já foram tomadas pela instituição. As aulas canceladas, uma empresa contratada emergencialmente para a limpeza de todos os 22 reservatórios e uma revisão na tubulação interna, destaca o gestor.

"As aulas continuam suspensas até que tudo seja solucionado para voltar com segurança para toda a comunidade do campus", comenta. Desde segunda, tanto as aulas como as atividades administrativas estão suspensas.

Sem ter ainda a causa da contaminação identificada, as equipes revisam todo sistema hídrico do campus. Uma última limpeza havia sido realizada em julho, quando a empresa responsável forneceu um laudo técnico atestando a sanidade da água nos reservatórios. O problema, acreditam tanto técnicos do Sanep como no IFSul, tenha sido um evento extraordinário no final de semana ou algo relacionado às chuvas da semana passada.

"Nosso pedido é para que a comunidade acompanhe nossas mídias oficias, redes sociais, onde informaremos diariamente o andamento dos trabalhos", disse Corrêa. O problema surgiu após servidores e alunos do Instituto apresentarem mal-estar, dores de cabeça e disenteria. Em uma avaliação feita pela própria instituição foi encontrada água com mau cheiro e coloração estranha.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados