Atendimentos

Psicologia da Católica amplia atendimento em UBSs de Pelotas

Prática universitária iniciada em 2020, mas interrompida pela pandemia, agora se consolida em mais duas unidades administradas pela UCPel

17 de Setembro de 2021 - 15h15 Corrigir A + A -

Por: Redação
web@diariopopular.com.br

A proposta de ampliar a presença dos alunos da UCPel nas UBSs administradas pela universidade foi iniciada em 2019 (Foto: Divulgação - DP)

A proposta de ampliar a presença dos alunos da UCPel nas UBSs administradas pela universidade foi iniciada em 2019 (Foto: Divulgação - DP)

Desde 2005 as Unidades Básicas de Saúde (UBSs)fazem parte dos cenários das práticas dos alunos do curso de Psicologia da Universidade Católica de Pelotas (UCPel). As UBSs Fátima e Pestano foram as primeiras a receber o serviço prestado pelos alunos da Católica, mas agora a rede de atendimento foi ampliada. As unidades Sanga Funda e Py Crespo também passaram a contar com a prática da Psicologia.

A proposta de ampliar a presença dos alunos da UCPel nas UBSs administradas pela universidade foi iniciada em 2019, mas devido a pandemia do coronavírus, só está sendo concretizada agora, em 2021. De acordo com a coordenadora do curso, professor Andrea Wagner, as atividades realizadas junto ao público das unidades são curriculares, relacionadas a estágios básicos e específicos. A procura por acompanhamento psicológico pelos moradores dos territórios abrangidos pelas duas UBSs motivou a presença dos alunos da Católica. “O estágio foi ampliado, por considerarmos que há muita demanda da psicologia nos locais. As atividades em UBS são voltadas ao atendimento em Atenção Primária em Saúde, com o objetivo de acolher, orientar e promover melhor qualidade de vida às pessoas, havendo promoção em saúde mental”, salienta a docente.

Toda atividade supervisionada

Hoje cerca de 25 alunos da Católica atuam nas quatro UBSs que contam com o atendimento da Psicologia. Entre as atividades realizadas pelos acadêmicos estão:

acolhimentos;

atendimentos individuais e coletivos;

atendimentos compartilhados;

visitas domiciliares; e, 

discussões de caso.

Os acadêmicos atuam mediante o acompanhamento de um supervisor pedagógico e um profissional da área. Nas UBSs Fátima e Pestano a supervisão fica por conta do psicólogo Alisson Morales, e nas unidades Py Crespo e Sanga Funda, da psicóloga Joseigla de Oliveira. “Esse respaldo de supervisão no local,  acompanhamento e compreensão dos casos em um segundo momento, nos possibilita trabalhar e desenvolver melhor as técnicas e conceitos da Psicologia”, explicam os supervisores ao salientar o retorno sempre positivo que recebem dos pacientes atendidos pelos acadêmicos.

Como as UBSs se tornam parte da vivência acadêmica?

Os alunos do Curso de Psicologia atuam nas UBSs a partir do 5º semestre, como prática curricular obrigatória. No 6° semestre existe a possibilidade de realizarem “Vivências Acadêmicas” como atividades complementares ao currículo. Os estágios propriamente ditos, nestes locais, iniciam-se dois períodos depois, na disciplina de Saúde Mental Coletiva. 

A prática em Atenção Primária em Saúde, relata a coordenadora do curso, surge como um novo campo de atuação profissional para o aluno que opta por ter essa experiência. Constitui-se em um novo espaço de inserção para o psicólogo, no qual irá desenvolver ações de atenção integral à pessoa inserida em sua comunidade/território.

Prestes a concluir o curso, Netaly Nunes, fala da experiência na UBS com a propriedade de quem escolheu o local para estagiar e para entender melhor o universo do psicólogo no serviço de Atenção Primária. “A prática na UBS é muito gratificante, pois com certeza deixa marcas positivas, além de contribuir para o crescimento pessoal e profissional daqueles que a realizam”, avalia a futura psicóloga.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados