Proposta

Protótipo que substitui as charretes está em análise no Sanep

A autarquia está estudando o plano de ação dos carrinhos

24 de Junho de 2018 - 23h31 Corrigir A + A -
Sugestão foi apresentada em julho do ano passado (Foto: Infocenter DP)

Sugestão foi apresentada em julho do ano passado (Foto: Infocenter DP)

O projeto de um veículo elétrico que irá substituir as charretes na área central, apresentado em julho do ano passado, está sendo analisado pelo Sanep. O funcionamento do carrinho, a fiscalização do serviço e a integração deles à coleta seletiva são estudados pelo Departamento de Resíduos Sólidos da autarquia. Ainda não há prazo para a conclusão do trabalho nem para a implementação dos veículos.

O carrinho, escolhido através de concorrência pública, é um dos mecanismos a serem utilizados pela prefeitura para atender à lei municipal 6.321. De acordo com a norma, que institui o Programa de Proteção Animal, a prefeitura é obrigada a encontrar alternativas aos veículos de tração animal (VTAs) até 2020. O presidente do Conselho Municipal de Proteção Animal (Comupa) acredita que os veículos estarão nas ruas antes deste prazo.

O momento é de análise da aplicação do carrinho dentro do sistema de coleta seletiva. O Departamento de Resíduos Sólidos do Sanep está elaborando o plano de execução que irá definir pontos como o local de entrega e retirada dos carrinhos, qual cooperativa receberá os materiais coletados e quem será o responsável pela fiscalização. Este trabalho está sendo desenvolvido há algumas semanas e não há uma data para o seu término.

Como o custo do carrinho é alto se comparado à renda dos catadores de material reciclável, o veículo não terá custo nenhum a eles. A prefeitura, no entanto, estuda se eles precisarão entregar seu cavalo para retirá-lo. O valor dos veículos, cerca de R$ 15 mil, será subsidiado por empresas parceiras. O criador do protótipo Fábio de Castro afirma que quatro empresários da cidade já firmaram parceria para custear os carrinhos.

O presidente da Associação dos Charreteiros Luís Antônio Silveira afirma que a categoria está disposta a adotar o novo modelo de veículo. Apesar disso, desde o ano passado não são procurados pelo Poder Público para tratar do assunto. "O que importa é a gente ter condições de trabalhar", comenta.

Veículo

O carrinho tem capacidade para até 450 quilos de carga e velocidade máxima de 20 km/h. Possui um motor elétrico com autonomia de até 70 quilômetros, mas também pode ser movido por propulsão humana, pois conta com pedais. Para manter o veículo em funcionamento, o gasto diário com eletricidade é de aproximadamente R$ 5,00. O cavalo custa, em média, R$ 15,00.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados