Iniciativa

Projeto traz pias comunitárias a Pelotas

Áreas em vulnerabilidade social foram escolhidas pela Eficiobra para receber as instalações

16 de Setembro de 2020 - 09h29 Corrigir A + A -
Medidas simples, como acesso a água e sabão, podem ajudar a conter a Covid-19 (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Medidas simples, como acesso a água e sabão, podem ajudar a conter a Covid-19 (Foto: Carlos Queiroz - DP)

Levar água e sabão para quem não tem. Esse é o objetivo da ação promovida pela empresa Eficiobra, startup incubada na Universidade Católica de Pelotas (UCPel), que instalou seis pias comunitárias em diferentes pontos periféricos de Pelotas. O projeto é vinculado à campanha nacional Uma Mão Lava Outra, promovida pela ONG Habitat para a Humanidade.

A intenção é que os moradores dessas localidades possam se proteger da Covid-19, doença ocasionada pelo novo coronavírus. Foram arrecadados R$ 630 mil em doações para a instalação de mais de 300 pias em diversas cidades do país. Como a Eficiobra participa de uma rede nacional de organizações que trabalham com habitação de interesse social e é parceira da ONG conseguiu viabilizar a verba para o município. “Em seguida, entramos em contato com a Central Única das Favelas (Cufa) e com o Instituto Hélio D’Angola para definir os locais”, completou a arquiteta e sócia proprietária da incubada, Cristina Rozinsky. Elas foram instaladas no Porto, Navegantes e São Gonçalo.

As pias precisam seguir um modelo padrão, mas podem ser adaptadas à realidade de cada local. As de Pelotas foram projetadas e montadas pela Eficiobra, cortadas pela Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) e grafitadas pelo artista Ges. “Trazemos ela pronta para o local e na hora da instalação só resta a parte de esgoto”, explica a proprietária. Antes da colocação, a equipe da empresa - junto com a Cufa e o Instituto Hélio D’Angola - visitou os locais para perceber um pouco da realidade e da necessidade de cada zona. “Conversamos com os moradores e tivermos uma boa receptividade”, contou Cristina. A empresa se responsabilizará pela manutenção das pias e neste sábado passará pelas instalações para, mais uma vez, dialogar sobre o uso com os moradores.

Engajamento da população

A estratégia para manter as pias em bom estado é a união com as crianças da comunidade. No dia das instalações a equipe distribui uma carteirinha de ‘Fiscal de Pia’ aos pequenos e eles se comprometem em preservar o novo bem comunitário. “A gente pede para eles cuidarem e ajudarem na fiscalização e a resposta está sendo ótima”. Na rua do Pântano, a reportagem encontrou o pequeno Yslander Monteiro, de dez anos. Empolgado com a ideia de dar um “carteiraço” em quem não cuidar da nova pia o estudante do 4º Ano tranquilizou a equipe, garantindo que aquela seria bem fiscalizada.

Mesmo não tão criança, a jovem Ashley Ienczak, de 18 anos também fez questão de pegar a carteirinha de fiscal. “Eu estou disponível para ajudar e até para doar sabonete”, disse, empolgada com a iniciativa. Ela mora no local desde pequena e mesmo tendo água encanada em casa, conta que essa não é a realidade de muitos vizinhos. “Alguns não têm acesso, tendo uma pia pertinho facilita muito”, falou a jovem que estuda o último ano do Ensino Fundamental e ajuda o pai nas atividades de reciclagem.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados